Alguns políticos estão aproveitando o momento de pandemia do novo coronavírus para colocarem em pauta sorrateiramente projetos que com certeza fariam maiores barulhos na mídia se estivéssemos em um estado normal.

O próprio presidente da república, Jair Bolsonaro, quer colocar em pauta um projeto que proíbe a ideologia de gênero, sua verdadeira obsessão e que definitivamente não é qualquer tipo de urgência para um país com a economia em frangalhos enquanto enfrenta a maior crise de saúde pública mundial.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Ou seria esta mais uma cortina de fumaça pra tentar iludir o seus apoiadores e distraí-los das investigações da Polícia Federal que chegam aos filhos ou da gravação da reunião com ministros que revela crimes? Provável também.

O “projeto federal com urgência constitucional” já foi, ou deve ser enviado em breve, para formalização. As informações são do portal Terra.

Bolsonaro ouviu de uma criança tutelada pelo padre polonês Pedro Stepien – ativista antiaborto que de vez em sempre aparece no Palácio da Alvorada para fazer pedidos ao presidente, como fim do aborto e da lei de alienação parental -, o seguinte pedido: “Nós crianças não queremos a ideologia do gênero“.

VEJA TAMBÉM:  Gay, casado e com filhos, senador Contarato confronta homofóbico Augusto Aras da PGR; assista

O grupo de crianças era tutelado pelo padre polonês Pedro Stepien, ativista antiaborto que costuma comparecer ao Palácio da Alvorada para fazer pedidos ao presidente – entre eles o fim do aborto e da lei de alienação parental.

Confira a declaração completa do político:

“Nós sabemos que por 11 a 0 o Supremo Tribunal Federal derrubou uma lei municipal que proibia a ideologia de gênero. Já pedi ontem (segunda-feira) para o Major Jorge, nosso ministro (Jorge Oliveira, da Secretaria-Geral da Presidência), que providenciasse uma lei federal agora, um projeto, e devemos apresentar hoje esse projeto com urgência constitucional.”

A lei derrubada pelo STF que Bolsonaro se refere foi criada no município de Novo Gama (GO), e proibia a discussão de gênero nas escolas. A legislação vedava a veiculação de informações e materiais no ambiente escolar que tratasse sobre ideologia de gênero.

VEJA TAMBÉM:  Bancadas católica e evangélica do Congresso pretendem se unir para rever lei contra LGBTQfobia
Avatar
22 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.