O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, já chegou mostrando diferenças gigantescas com o antecessor no cargo. Felizmente, né?

Ele acaba de autorizar uma medida até então vetada por Donald Trump, autorizando o uso de bandeiras LGBTs em escritórios oficiais do governo e em toda diplomacia norte-americana pelo mundo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“A violência contra a população LGBT aumenta no mundo. Os EUA precisam assumir seu papel de proteger essas pessoas”, disse Joe Biden diante do Senado dos EUA, noticiou o UOL.

Pela influência que o governo e a cultura norte-americana tem no mundo, o ato é visto como um grande passo por mais igualdade e justiça com uma população historicamente marginalizada. Ainda são cerca de 70 os países do mundo que criminalizam ser LGBT.

Outra medida já definida por Joe Biden foi a revogação do veto a pessoas trans nas forças armadas do país, outro delírio preconceituoso de Donald Trump. Ele também nomeou uma mulher trans que atuou bravamente na linha de frente da covid-19 para a área da saúde em esfera federal.

VEJA TAMBÉM:  Virgínia (EUA) aprova lei que proíbe "cura gay"
Joe Biden em Forum LGBT (Foto: Reprodução)
Joe Biden em Forum LGBT (Foto: Reprodução)

Além disso, o novo presidente também retirou o país da aliança mundial contra o aborto, por entender que aborto é uma questão de saúde pública e que não se impede por proibí-lo por lei, apenas se condena as mães de baixa renda a arriscarem sua própria vida.

Ao ser adotada por Trump, a medida havia secado o financiamento de milhões de dólares para entidades que atendiam a meninas e mulheres em países mais pobres do mundo.

Pra se ter noção do buraco em que o Brasil se meteu, outros países integrantes desta aberração,  são Egito, Hungria, Indonésia e Uganda. Todos países retrógrados e onde os direitos humanos não são respeitados.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).