E foi bom demais para ser verdade.

No fim da semana passada, Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, havia promulgado uma lei estadual que pune estabelecimentos que cometerei algum ato discriminatório em função da orientação sexual, identidade de gênero e sexo. Porém, o decreto já não está mais valendo.

De acordo com o jornal O Globo, o político decidiu voltar atrás após uma pressão da bancada evangélica, sua aliada no governo. A “desculpa oficial” divulgada conta que o decreto foi “publicado equivocadamente, sem a correção do governador, excluindo fatos não contidos na lei”.

O decreto foi publicado no dia 18 de fevereiro, regulamentando a Lei 7.041, de 2015. Ela prevê punições a qualquer estabelecimento ou agentes públicos que pratique discriminação contra pessoas em função do sexo, identidade de gênero ou orientação sexual, ou que adotem atos de coação ou violência física e verbal contra as vítimas.

A punição pode ser branda, como uma advertência, mas também pode chegar à uma multa bem salgada, de até 78 mil reais. A inscrição estadual, que dá permissão para um estabelecimento funcionar, também pode ser cassada.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em tom de ameaça, Sóstenes Cavalcante, deputado pelo DEM-RJ, disse que quer conferir se o decreto será mesmo suspenso: “Queremos que esse decreto seja sustado na íntegra. Caso contrário, o governador pode saber que viverá com os evangélicos e católicos um inferno pós-carnaval”.

O deputado federal Marco Feliciano também comemorou a decisão. No Twitter, o pastor disse que Witzel “o que nenhum esquerdopata teve coragem até hoje”.

Avatar
21 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.