Ao que tudo indicava, a LGBTfobia seria logo criminalizada e configurada legalmente como já é o racismo e as discriminações por religião e etnia no Brasil. Felizmente sem grandes percalços, uma vez que a votação no STF para tanto se encontra em 6 votos favoráveis a 0 contra, sendo 11 no total para se concluir o julgamento.

Acontece que agora, sem explicar exatamente o motivo, o Ministro Toffoli, presidente do STF, adiou de 5 para 13 de junho a continuidade da votação sobre a criminalização da LGBTfobia. Isso se não adiar novamente, já que não é a primeira vez que faz exatamente isso.

É importante lembrar que o Presidente da Corte, Dias Toffoli, já manifestou publicamente que não gostaria que o STF julgasse o tema da criminalização da LGBTfobia. Desde o último dia 23, quando o julgamento foi retomado, depois de ser adiado pelo próprio sem pedido de vistas – algo que nunca tinha acontecido antes no STF – já temos maioria de votos declarados e falta muito pouco para enfim a LGBTfobia ser legalmente colocada como crime de discriminação no país.

Curiosamente ontem (30), no mesmo dia em que determinou o segundo adiamento da votação, Toffoli tomou café da manhã com o presidente Jair Bolsonaro e a líder do PSL na Câmara dos Deputados, deputada Joice Hasselman (aquela do vídeo que parece mais pornochanchada). Daí, tirem as suas conclusões…

Resultado de imagem para toffoli bolsonaro joice
O encontro heterocisnormativo entre Bolsonaro, Toffoli e Joice Hasselman.

Não se sabe qual foi a conversa dos três, mas eram só sorrisos. Claro que fica algo muito suspeito no ar, vindo de um encontro com um presidente assumidamente homofóbico que sempre foi contra a criminalização da LGBTfobia no Brasil (até porque o próprio se enquadraria como criminoso após suas inúmeras declarações homofóbicas, como quando disse que “prefiria filho morto do que gay”, que “gay ninguém gosta, só tolera!”, “que filho gay é falta de porrada”, que “se visse dois homossexuais de mãos dadas na rua, iria bater”, e etc).

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Resta agora à comunidade LGBT se unir e cobrar em peso do STF a conclusão do julgamento, uma vez que minoria não pode ser usada como moeda de troca ou favor político, é claro, se este for o caso, como fica realmente parecendo neste eterno adiamento da votação da criminalização da LGBTfobia pelo ministro Toffoli, sem qualquer justificativa plausível para tal.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).