o Brasil permaneceu no topo do ranking de países, em 2020, que mais mata transsexuais no mundo. Segundo levantamento da ONG Transgender Europe, morreram neste ano 152 pessoas trans vítimas de crime de ódio no país.

Em divergência deste cenário caótico, as urnas elegeram em todo o País dezenas de vereadores LGBTs. Em São Paulo e Belo Horizonte, as mulheres mais votadas são mulheres trans, que é o caso da professora Duda Salbert.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Duda Salabert
Duda Salabert

Mesmo estando no início de sua candidatura, Duda já relatou que os próprios políticos de seu partido fizeram uma ação de canalhas, confira aqui.

Eleita na capital mineira pelo PDT. Mulher trans e lésbica, Duda foi a mais votada na história da cidade. “Nós conseguimos um fato histórico neste ano, mas não basta eleger, precisamos manter esses corpos no poder”, disse em entrevista exclusiva a Carta Capital.

VEJA TAMBÉM:  Duda Salabert sofre ameaça de morte: "Aberração! Pedreiro de peruca!"

“Para 2021, eu vejo o pior dos cenários para o movimento LGBT, para os movimentos sociais e para os movimentos de luta. Eu acho que vai acontecer no próximo ano uma retirada e um desmonte absurdo de direitos historicamente conquistados. Por isso que precisamos nos articular e fortalecer como movimento social e fazer uma mobilização nas ruas”, lamenta.

Duda Salabert e seu parceiro Ciro Gomes
Duda Salabert e seu parceiro político Ciro Gomes

Já em relação ao mandato, a vereadora diz que o foco deve ser a educação. “O que muda o mundo não é a criação de novas leis, mas criação de novas consciências. Isso se faz no âmbito escolar. Vamos fazer um mandato pautados na questão escolar, pautando um novo modelo de escola”. confirma.

Confira a entrevista completa de Duda Salabert:

Avatar
Carioca, antenado e intenso. Redator do Põe na Roda e Produtor Digital da Rádio Rio de Janeiro. Amante das artes, desde as cênicas até a fotografia. Taurino com 21 anos, apreciador raiz da cultura pop e um jornalista em construção.