Uma pesquisadora do Kuwait, a Dra. Mariam Al-Sohel apareceu na Scope TV para explicar como funciona o “remédio gay” baseado na profecia islâmica. A novidade “cientifica” foi divulgada pelo Gay Star News e pelo MEMRI Reports.

“Eu descobri supositórios terapêuticos que restringem os impulsos sexuais de meninos do terceiro sexo”, disse ela em entrevista para TV no Kuwait. “Assim como o quarto gênero, que são as lésbicas masculinas.” O “terceiro gênero” são homens gays femininos, de acordo com Al-Sohel. Ela então continuou: “Isto é tudo ciência, então não há nada para se envergonhar. O desejo sexual se desenvolve quando uma pessoa é sexualmente atacada. E depois disso, persiste porque existe um verme anal que se alimenta de sêmen. Alimenta-se de esperma.”

“Então, o que eu fiz foi produzir supositórios, que devem ser usados ​​por certas pessoas em um determinado momento. Ele cura esses impulsos exterminando o verme que se alimenta de esperma ”, disse ela.

Al-Sohel prosseguiu explicando que ela inventou dois supositórios diferentes, um supositório para homens gays femininos e um para lésbicas masculinas. Os ingredientes são exatamente os mesmos, mas eles estão em cores diferentes.

Supositório da “cura gay”

Ao mesmo tempo em que inicia a improvável “cura gay”, Al-Sohel também aconselha uma dieta balanceada para “limpar o corpo de venenos”. Ela então revela que os alimentos amargos são bons para homens gays porque aumentam a masculinidade e constroem músculos.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Qualquer comida que esteja enterrada no subsolo fornece estabilidade aos homens, fortalece seus músculos e aumenta sua masculinidade”, disse ela. ‘Alimentos amargos aumentam a masculinidade’.

Profissionais médicos condenam amplamente a prática de terapias da “cura gay”.

Direitos LGBTI no Kuwait

É incrivelmente perigoso ser LGBTI no país do Oriente Médio do Kuwait. A atividade sexual entre pessoas do mesmo sexo é ilegal, com risco de multa ou até seis anos de prisão. Também não há leis anti-discriminação para casais do mesmo sexo ou direitos parentais para pessoas LGBTI. O casamento entre pessoas do mesmo sexo é ilegal e também não há leis para transgêneros no Kuwait.