O presidenciável João Amoedo acaba de dar mais uma prova de que “novo” é apenas o nome do seu partido. Os pensamentos estão completamente fora de sintonia com o mundo atual.

Falando em “ideologia de gênero”, uma expressão erroneamente usada por ignorantes no assunto para falar sobre a questão de identidade de gênero (Amoedo, converse com quem entende do assunto: médicos, psicólogos, psiquiatras, pessoas trans… aliás uma passadinha pra trocar uma ideia com profissionais de saúde da ala de transexualidade do Hospital das Clínicas – por exemplo – ajudaria antes de falar tanta baboseira), o candidato afirmou simplesmente “ser contra“, afirmando que deve-se respeitar apenas o sexo biológico de uma pessoa.

Oras, como ser contra uma existência alheia? Isso não é opinião, mas preconceito. Não é opinião, mas opressão de uma realidade que você desconhece. Não se pode ser contra a vida de alguém que não te diz respeito e nem te prejudica. Da mesma maneira que não se pode ser contra negros, nem contra mulheres, nem contra gay e nem contra trans, nem contra homem hétero e branco como o senhor, candidato. Tem quem diga que isso é só questão de opinião… Não. Opinião é azul ou verde, doce ou salgado. Quando essa opinião proferida fere a existência, igualdade de direitos e dignidade do outro, o nome disso é preconceito.

Assista no vídeo abaixo:

Caso o vídeo acima não carregue, assista aqui.

“Identificação biológica é o que vale”, disse Amoedo no vídeo sem qualquer conhecimento no assunto da sexualidade, como é possível ver. Assumir sua ignorância na questão seria mais digno, candidato.

Amoedo propaga com sua fala, o pensamento ignorante de quem não sabe que existe em qualquer pessoa três questões absolutamente distintas: sexo biológico x orientação sexual e identidade de gênero. Mesmo você Amoedo, tem um sexo biológico (masculino, tem um pênis), tem orientação sexual (heterossexual, se atrai pelo gênero oposto) e uma identidade de gênero (Homem. E cisgênero, afinal seu sexo biológico condiz com sua identidade de gênero).

No mesmo vídeo, provando sua total falta de conhecimento no assunto, o candidato ainda coloca orientação sexual como “escolha”. Só faltou chamar “orientação sexual” de “opção sexual”, né? Se bem que, em outras palavras, foi exatamente o que ele fez.

Claro, Amoedo! Travestis e transexuais inclusive escolhem nascer em um gênero que não condiz com seu sexo biológico porque justamente querem sofrer preconceito, evasão escolar, não ter opção a não ser viver na marginalidade e ter uma expectativa de vida que é metade da sua, Amoedo. E gays decidem em um belo momento se atrair pelo mesmo gênero que o próprio pra levar lampadada na rua ao dar as mãos pra quem ama… Aliás, quando foi que você escolheu ser hétero, candidato?

Tentando ainda – como se fosse possível – pregar algum tipo de tolerância no vídeo, Amoedo afirmou ser sim a favor do casamento gay, mas contra “essa questão de gênero”.

Como alguém pode se dizer a favor de gays, lésbicas e bissexuais mas contra transexuais e travestis? Ou seja, desde que você seja cisgênero, tranquilo. O problema pra Amoedo é nascer em um sexo biológico que não condiz com o gênero da sua mente, o como você se enxerga, o gênero ao qual você entende pertencer (e na maior parte das vezes, desde o nascimento!).

Pesquisas científicas recentes que já comprovam que o cérebro tem um gênero e o corpo biológico (DNA/genitais/estrutura física) outro, formados em semanas diferentes ainda na gestação. Em maior parte da população seguem a mesma direção (pessoas cisgênero). Em pessoas transgênero, são gerados em sentidos opostos. E não adianta querer mudar o gênero da mente. Séculos de torturas às pessoas trans já provaram que isso é ineficiente. O menos prejudicial é alterar o corpo e não obrigar a mente a mudar, o que já se provou inviável.

E quem diz isso não sou eu. Quem prova isso já hoje em dia é a ciência, é a Organização Mundial de Saúde, é o Ministério da Saúde ou qualquer pasta de saúde de qualquer país desenvolvido. E antes destes todos, sabe também quem prova isso que tô dizendo, candidato? Pessoas trans, com as quais o senhor nunca conviveu e acha que tem alguma propriedade pra opinar sobre o assunto, condenando uma existência que não é a sua.

As afirmações atestam a total ignorância do candidato em relação a um tema importante a partir do momento em que vivemos em um dos países que mais matam travestis e transexuais no mundo.

Não pode se intitular “novo” quem se mostra ignorante e preconceituoso sobre um tema atual. O pior nem é a ignorância, mas a falta de humildade em assumir ser um assunto que não domina. Seria mais digno. Que tal trocar uma ideia com pessoas trans, candidato? Uns livros de sexualidade? Ou profissionais de saúde que lidam diariamente com o tema? Sexólogos? É com este mesmo “achismo” que você pretende formar seus ministérios se for eleito? Ou vai buscar quem entende de cada assunto?

Vale lembrar que Amoedo também é contra o Estado promover igualdade salarial entre homens e mulheres. Isso foi declarado em sabatina recente. Segundo o candidato, não cabe ao Estado regulamentar salários de empresas privadas. Em tempo: No Reino Unido e na Islândia recentemente foram aprovadas medidas que estabelecem que as empresas devam pagar o mesmo a homens e mulheres que desempenham a mesma função sob pena de multa caso não cumpram a medida. O Estado não quebrou, as empresas também não e sequer piorou a economia interferir em uma questão das empresas privadas. A medida apenas passou a garantir mais justiça e igualdade, sendo este sim o dever do Estado, candidato.

Saber o posicionamento e conhecimento de seu candidato em relação a temas progressistas, como é a pauta LGBT, não diz respeito só a pauta LGBT em seu governo. Diz respeito acima de tudo a qual período da História está presa a cabeça do candidato. Afinal de contas, é algo novo que a gente precisa em todas as áreas, não é?

Ao que tudo indica, tem toda razão o colunista da Folha, Tony Goes, em seu blog (leia aqui) quando diz que Amoedo é só um Bolsonaro que sabe q a ordem dos talheres, apenas escondendo melhor seu conservadorismo e pensamento retrógrado.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).