Um homem britânico admitiu ter forçado seu filho de 11 anos a fazer sexo com sua madrasta em uma tentativa (frustrada, obviamente!) de evitar que o garoto fosse gay.

A vítima hoje tem 36 anos e decidiu tornar pública sua história e buscar justiça muitos anos após sua família, na década de 90, ter cometido este abuso quando viviam na cidade de Bracknell, na Inglaterra.

Daniel quando ainda criança.

O pai dele, Richard Dowling, com 62 anos atualmente, foi condenado a cinco anos de prisão por ser o mandatário do abuso. Já a madrasta, também com 62 anos, foi condenada a oito anos pelo ato.


Assista também:


O pai de Daniel condenado a 5 anos de prisão.

Algumas das justificativas constantes do pai era prevenir que o garoto se tornasse gay. Inclusive o acusado chegou a alegar isso no tribunal em sua defesa (como se algo fosse justificativa pra tal barbaridade!).

“Eles roubaram minha inocência e arruinaram minha infância. Era o dever do meu pai me proteger”, disse Daniel ao tabloide Sunday Mirror.

A madrasta, condenada a 8 anos de prisão.

Daniel decidiu tornar pública sua história e buscar justiça mesmo muitos anos após o caso, por perceber que poderia ajudar e inspirar a muitas pessoas que passam por dramas semelhantes em suas vidas.

Em entrevista ao jornal, ele revelou que o abuso começou um dia em que estavam jogando e o pai sugeriu que quem perdesse fosse tirando uma peça de roupa. Logo, a madrasta estava nua, no que o pai ordenou que ele beijasse seus seios.

Pelos próximos três anos seguintes a situação degringolou, culminando na perda de virgindade e abuso do garoto pela madrasta, a princípio a mando do pai, mas com o tempo, agindo por si própria o coagindo constantemente mesmo quando sozinha com ele na casa.

“Fui sexualizado em uma idade jovem demais. Sexo hoje é um trauma pra mim e não significa nada. As poucas memórias felizes da minha infância foram sobrepostas pelos traumas de tantos abusos”, relatou a vítima ao Sunday Mirror.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).