Um novo estudo da Universidade de Queensland que utilizou dados de uma pesquisa de 2012 da Income, and Labor Dynamics in Australia (HILDA) para medir a inteligência cognitiva, associada à versão de 2015 perguntou as atitudes dos entrevistados em relação aos direitos LGBTQI e confirmou o que já sabíamos: pessoas homofóbicas são mais burras.

Embora pareça bizarro que fosse necessário um novo estudo para confirmar isso, console-se com o fato de que todas as suas suspeitas anteriores e não estudadas estavam corretas – as descobertas de um conjunto de dados nacional australiano de alta qualidade (n = 11.564) indicam que os indivíduos com baixa capacidade cognitiva tem menos probabilidade de apoiar direitos iguais para casais do mesmo sexo.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Parece um trocadilho intencional, que se as pessoas com baixa inteligência cognitiva não leem muito, ou trabalham muito para mudar as noções pré-concebidas que carregam consigo desde a infância, ou mesmo questionam que o que não os afeta, que eles pensem assim.

VEJA TAMBÉM:  Homofobia: Arbitro norueguês se assume após episódio durante jogo

Os participantes do novo estudo foram convidados a concordar ou discordar da afirmação: “Os casais homossexuais devem ter os mesmos direitos dos casais heterossexuais”. As pessoas que responderam negativamente geralmente pontuaram mais baixo em habilidades de inteligência cognitiva e isso foi mais dito para aqueles com baixa capacidade verbal de se expressar.

“Existem correlações bem conhecidas entre baixa capacidade cognitiva e suporte a atitudes preconceituosas ou não igualitárias”, concluem os autores. “Indivíduos com baixa capacidade cognitiva têm menos probabilidade de apoiar direitos iguais para casais do mesmo sexo.

“Nossos resultados deste novo estudo sugerem que as habilidades cognitivas desempenham um papel crítico, embora pouco apreciado, no preconceito”, eles continuaram. “Consequentemente, recomendamos um maior foco na capacidade cognitiva na pesquisa sobre preconceito e uma melhor integração da capacidade cognitiva em modelos de preconceito.”

VEJA TAMBÉM:  Homofóbico surta e joga bandeira do orgulho no rosto de funcionário (vídeo)

E não são apenas pessoas burras que usam a homofobia para manter a comunidade LGBTQI na idade das trevas – a política homofóbica em todos os níveis do governo australiano também se envolve na prática, como evidenciado pelas contínuas restrições à doação de sangue de homens que fazem sexo com homens na Austrália.