São muitas as frentes de pesquisa que buscam a prevenção e cura do vírus do HIV desde a década de 80. Muito já se evoluiu neste sentido. Hoje em dia, por exemplo, uma pessoa soropositiva consegue viver normalmente e sem passar o vírus a frente desde que siga o tratamento corretamente, ficando assim com carga viram indetectável.

Uma novidade e tanto na área é um novo tipo de arroz modificado geneticamente, que segundo um novo estudo de cientistas americanos e espanhóis, é capaz de ajudar no combate do vírus do HIV.

A descoberta foi divulgada no National Academy of Science e, conforme os estudiosos envolvidos no estudo, a ideia não é utilizar o cereal como alimento e, sim, para produzir um creme que, ao ser passado e penetrado na pele, pode inibir o vírus e seus sintomas. 

Especialistas explicaram que o arroz modificado tem três proteínas microbicidas (2G12, lectina e cyanovirin-N). Nos experimentos, essas substâncias se ligaram à glicoproteína do HIV, que possibilita atingir as células do organismo e neutralizam a ação do HIV. 

O arroz seria uma alternativa aos altos custos dos medicamentos atuais, principalmente em países subdesenvolvidos.

Se animou? É melhor ter paciência. O arroz geneticamente modificado ainda se encontra em fase de testes e precisa ter sua eficácia comprovada sem que isso acarrete em efeitos colaterais graves.

Isso sem falar no período de aprovação que costuma demorar um período diferente de país para país, podendo ser de meses a anos de acordo com a regulação de cada um.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).