Apesar de ainda estarmos no meio de uma pandemia global, centenas de milhares de pessoas estão pelas ruas e praias de Daytona Beach, Flórida e um deles é o Naked Cowboy, que sim, tem um nome verdadeiro e é Robert Burck, só que agora vestido, na cadeia.

Segundo nota do Queerty, o artista de rua nova-iorquino de 51 anos é conhecido por se apresentar na Times Square de cueca, chapéu de cowboy e botas de cowboy. Esta semana, ele trouxe seu show, junto com sua esposa “Naked Cowgirl”, para Daytona Beach. Mas quando a polícia o abordou por estar pedindo esmolas (crime no estado) as coisas ficaram complicadas.

Imagens da câmera mostram policiais prendendo o Naked Cowboy depois que ele continuou recebendo dinheiro de pessoas na rua, apesar de terem sido informados de que era contra a lei. Os policiais também disseram que ele não estava se distanciando socialmente e que estava atraindo uma grande multidão.

“Então os negros podem andar por aí e receber gorjetas o dia todo, mas eu não posso?”, diz Burck no vídeo. “Com licença? Com licença?” o oficial responde: “Eu não me importo. Você me ouviu. Eu não quero dinheiro deles. Eu já sou rico. Eu não dou a mínima para o dinheiro. Você pode quebrar o violão e dar para todos os negros”, responde o Naked Cowboy.

As coisas pioram ainda mais quando Burck tenta se afastar e é empurrado contra o carro da polícia, fazendo com que a alça de sua guitarra estale. É quando ele começa a gritar calúnias homofóbicas para o policial: “Foda-se, sua sapatão de merda”.

Depois de se acalmar, Burck pede desculpas por chamar a mulher de calúnia e diz: “Você pode me chamar de idiota”. “Eu não falo com pessoas assim”, ela responde. O Naked Cowboy foi preso sob a acusação de mendigar e resistir à prisão sem violência. Um juiz rejeitou a acusação de mendicância e Burck entrou com um apelo de não contestação na acusação de resistência à prisão. Ele foi condenado a tempo de serviço e a pagar custas judiciais.