Felipe Alves, um morador de um condomínio em Joinville, Santa Catarina, recebeu uma carta homofóbica inusitada esta semana de um vizinho que o viu entrando em casa de mãos dadas com o namorado. A carta foi colocada por debaixo de sua porta e após ´postar em suas redes, viralizou.

Na carta, o vizinho homofóbico dizia: “Olá, vizinho, o Condomínio Pirituba é um local de família. Respeitamos todas as pessoas e não nos importamos com o que cada um faz dentro de sua casa. Mas essa semana tive que explicar para meu filho o porquê de dois homens de mãos dadas andando pelo estabelecimento. Respeito, por favor”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Felipe Alves diz que há dias está tentando resolver da melhor forma o assédio da carta homofóbica: “Faz dois dias que eu tô tentando falar com o responsável pelo condomínio e pelo síndico mas a administradora não quer passar a ligação mesmo eu explicando a situação”, mas não obteve resposta do síndico.

VEJA TAMBÉM:  Homofobia: Jornalista da Globo denuncia agressão sofrida pelo irmão

O cabeleireiro conta que já foi alvo de homofobia em seu trabalho antes, e que, com muita luta, hoje, tem seu próprio salão, que é todo decorado com a bandeira do orgulho. Alves, que publicou a carta homofóbica, recebeu apoio de vizinhos do condomínio.

Vale lembrar que a PL122 Artigo 8º-B diz: Proibir a livre expressão e manifestação de afetividade do cidadão homossexual, bissexual ou transgênero, sendo estas expressões e manifestações permitidas aos demais cidadãos ou cidadãs. Pena: reclusão de dois a cinco anos.