Em mais uma demonstração de sua desastrosa nomeação ao novo Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos(Sim! Mais um ministério pra quem dizia que queria enxugar a máquina pública…), a pastora e agora ministra, Damares Alves, sugeriu a volta de um projeto de lei que concederia bolsa para mulheres vítimas de estupro que optem por não abortar o feto em gestação.

As posições conservadoras de Damares – como ser totalmente contra o aborto e a favor da cura gay – são de conhecimento público. O mais absurdo continua sendo sua nomeação a esta pasta, sendo que, para estar neste cargo, exigiria-se um mínimo de conhecimento em direitos humanos, um histórico na área e empatia com lutas das minorias da população. Algo que uma ministra que diz que “a religião vai salvar o Brasil”, sem nem respeitar o Estado Laico, definitivamente não tem.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
VEJA TAMBÉM:  Mulher trans é espancada por agressores que gritam: "Bolsonaro vai acabar com este lixo!"

O projeto citado, chamado Estatuto do Nascituro – que é praticamente uma esmola a vítimas de estupro pra que não abortem e arquem com uma criança não desejada e nem planejada – já data de 2013 e foi apresentada na época pelo ex-deputado e atualmente presidiário, Eduardo Cunha.

Com Damares no comando, a proposta pode ser desenterrada agora. Segundo o texto, o auxílio à vítima deveria ser paga pelo estuprador. Caso o criminoso não seja identificado, a bolsa seria então concedida pelo Estado.

Na Internet, a proposta foi muito criticada. Leia alguns dos comentários (pertinentes!) abaixo:

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).