Jean Wyllys se reelegeu deputado federal pelo PSOL no Rio de Janeiro. Conquistada em uma margem estreita, a vitória garantiu a ele mais quatro anos no Congresso Nacional.

Em um meio extremamente conservador – e sendo um dos políticos mais progressistas do Brasil, tocando e opinando sem medo em temas como descriminalização do aborto, criminalização da homofobia e descriminalização da maconha – de todos os deputados brasileiros, Jean Wyllys é de longe o mais difamado e alvo de mentiras e fake news nas redes sociais por seus opositores.

Mesmo com todas as mentiras ditas sobre ele e compartilhadas à exaustão nas redes sociais e whatsapp, em notícias absurdas como por exemplo, “de que ele iria retirar trechos homofóbicos da bíblia”, “fazer Pabllo Vittar estampar nota de 50 reais” ou que “criaria um projeto pra ensinar islamismo nas escolas” (pra citar ALGUNS exemplos!), o deputado e ativista LGBT felizmente conseguiu se eleger mais uma vez.

“Ninguém foi tão difamado quanto eu. Conseguimos que o TRE retirasse de circulação 1 milhão de publicações falsas. Fui caluniado à esquerda e à direita”, disse o político do PSOL. “A palavra de ordem da minha campanha foi resistência”, concluiu.

Fica aliás um conselho a quem estiver lendo esta matéria: confira sempre se as notícias que você compartilha por aí são verdadeiras ou não. Em tempos de conservadorismo e fake news rodando grupos de whatsapp, há muita gente querendo tirar a pouca representatividade que LGBTs, negros e mulheres vem conquistando pouco a pouco, afim de nos puxar o tapete. Jean é um dos maiores exemplos disso.

Em suas redes sociais, Jean agradeceu pela eleição e garantiu desde já seu apoio a Haddad e Manu na corrida presidencial:

Vale lembrar que a eleição de Jean ajudou o PSOL a ampliar sua bancada expressivamente. O partido que tinha 6 representantes na Câmara, agora conta com 11.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).