As eleições de 2018 deixaram uma marca que perdurará por muito tempo. As fake news, um dos termos mais pesquisados no Google, no ano passado, fizeram parte da corrida presidencial. Para alguns especialistas, as notícias falsas podem ter sido as responsáveis pelo resultado final, como aconteceu nos Estados Unidos.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, participou de um evento, em São Paulo, para debater sobre o fenômeno. Na ocasião, Ricardo afirmou que houve uma disseminaçãoabsolutamente incontrolável de fake news durante o período das eleições em 2018”.

Segundo o ministro, esta é uma realidade com a qual a sociedade contemporânea convive todos os dias e deu alguns exemplos de fake news que circularam pelo país, destacando o caso do kit gay, inventado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

“Tivemos também o caso do kit gay, que foi amplamente divulgado, que o Ministério da Educação no Brasil teria disseminado nas escolas brasileiras um kit gay. O ministro da Educação teve que vir a público desmentir aquilo que era obviamente, a meu ver pelo menos, inverossímil”, frisou.

Lewandowski também comentou sobre as notícias falsas acerca de da vereadora Marielle Franco. “Tivemos o caso da Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro brutalmente assassinada, que de repente foi acusada de estar envolvida com o tráfico de drogas”, acrescentou.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Para ele, a Justiça Eleitoral e o Poder Judiciário devem ter instrumentos que neutralizem a influência negativa das fake news. “Se a Justiça Eleitoral não estiver à altura de cumprir esse dever, é melhor fechar as portas e entregar a chave dos tribunais eleitorais aos partidos políticos”, declarou.

O caso do kit gay foi altamente divulgado pelo presidente da república, que se atrelou ao tema para conseguir os votos da família tradicional brasileira. No entanto, embora tenha sido tarde demais, a Justiça proibiu Bolsonaro de espalhar mentiras sobre o assunto.

Fonte: Agência Brasil