Uma adolescente lésbica democrata que tinha sido proibida de ir aos protestos do Black Lives Matter, denunciou que sua família republicana está envolvida na violenta invasão ao Capitólio, que aconteceu nos últimos dias nos Estados Unidos.

Cinco pessoas morreram durante os tumultos caóticos acontecidos no último dia 6 de janeiro, que ocorreu pela negação dos extremistas à derrota de Donald Trump e vitória de Joe Biden à presidência do país.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Olá, esta é a lésbica liberal da família que foi expulsa várias vezes por suas opiniões e por ir aos protestos do Black Lives Matter”, postou Duke ao lado de fotos de três pessoas no Twitter.

Em seguida ela denunciou a presença de 3 parentes na invasão terrorista ao Capitólio em apoio a Donald Trump: “Então, mãe: Therese Duke. Tio: Richard Lorenz. Tia: Annie Lorenz”.

A mãe de Duke, Therese, inicialmente mentiu para ela sobre para onde estava indo, dizendo que estava acompanhando um parente em uma consulta médica, conforme noticiou o BuzzFeed News.

VEJA TAMBÉM:  Sem gênero pré-determinado, bebê de Elon Musk e cantora Grimes se chamará “X Æ A-12”

Mas Duke e seu primo descobriram que Therese na realidade tinha ido para Washington DC participar da violenta invasão ao Capitólio, a tentativa de golpe dos apoiadores de Trump, felizmente frustrada.

“Minha reação inicial foi mais tipo,‘ Meu Deus, eu estava certa. Na verdade, eu estava certa sobre eles estarem lá ‘”, disse Helena, 18, ao BuzzFeed News. “Foi muito surreal porque era um vídeo insano, em primeiro lugar, e depois foi a revelação de que,‘ Oh, essa é a minha mãe. É ela.'”

Terroristas republicanos invadem o Capitólio nos EUA. (Foto: Reprodução / Twitter)
Terroristas republicanos invadem o Capitólio nos EUA. (Foto: Reprodução / Twitter)

Duke contou à reportagem que sua mãe antes era eleitora democrata, mas mudou rapidamente para a direita quando Trump foi eleito em 2016.

Ela foi elogiada por sua bravura em denunciar sua família para a polícia, especialmente por outras pessoas que perderam familiares para o grupo “Adoradores de Trump”. Muitos deles a contataram para parabenizar.

VEJA TAMBÉM:  Rejeitada por três famílias, criança é adotada por casal gay de Goiás

“Acho que me faz sentir melhor saber que outras pessoas passaram pela mesma coisa”, disse Duke. Eu obviamente me sinto muito triste por eles terem que passar por isso também, mas por eu não estar sozinha e por eles não estarem sozinhos.”

Não está claro se a família de Duke realmente invadiu o Capitólio ou se eles permaneceram de fora durante o ato. Ao voltar para casa, eles pediram a Duke para apagar seus tweets identificando-os, o que ela se recusou a fazer.

Avatar
Carioca, antenado e intenso. Redator do Põe na Roda e Produtor Digital da Rádio Rio de Janeiro. Amante das artes, desde as cênicas até a fotografia. Taurino com 21 anos, apreciador raiz da cultura pop e um jornalista em construção.