Em Washington, nos Estados Unidos, um jovem de 22 anos, está buscando a justiça afirmando ter sido chantageado pelo boy que conheceu em um aplicativo gay.

A vítima alega que recebeu mensagens do contato ordenando que ele mandasse mais vídeos eróticos de si caso não quisesse ter o material enviado e exposto aos seus amigos e família, o que o contatinho disse possuir.

O acusado em questão é Christopher Malik e não é a primeira vez que se envolve em um caso do tipo. Em 2010, quando tinha apenas 14 anos de idade, ele ameaçou expulsar um colega da escola se ele não mandasse fotos de si mesmo realizando atos sexuais específicos.

Na época, ele foi condenado a três dias de detenção pelo Tribunal Juvenil para Cyberstalking. Ao ser perguntado pelo juiz por qual motivo fez isso, ele simplesmente respondeu: “Porque sim”.

Confirmando seu desequilíbrio e impossibilidade de se viver na sociedade, um ano depois o rapaz também foi condenado a um ano de detenção após perseguir um colega de classe deixando cartas ameaçadoras em sua casa escrevendo coisas como “farei o que for preciso pra ficar com você”.

Já em 2014 ele também foi condenado e fichado como agressor sexual ao se passar por uma mulher em aplicativos para obter fotos de um colega de turma hétero. As fotos depois ainda foram usadas para criar perfis em aplicativos gays onde ele buscava outras vítimas para suas chantagens.

[embedyt]https://www.youtube.com/watch?v=AUSuoRJO4O0[/embedyt]

 

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).