De acordo com uma publicação no The Lancet, foi relatada a transmissão sexual de uma nova cepa do HIV resistente ao PrEP, o que acende um alerta à comunidade médica.

Um francês de 23 anos, que inicialmente havia testado negativo para HIV, em um novo exame apresentou resultado positivo. Ao estudar o caso, os médicos se depararam com uma cepa do vírus resistente a três classes diferentes de anti-retroviral, incluindo os utilizados na profilaxia pré-exposição (PrEP).

Segundo o artigo no The Lacet, isso chamou atenção da comunidade médica porque, até então, o comum é a resistência do HIV a um único tipo de medicamento.

PREVENÇÃO DO HIV - Profilaxia pré e pós-exposição (PrEP e PEP)

Ao estudar esse caso, os médicos descobriram um homem de 54 anos, que vive na mesma área em que o jovem, e que apresenta a mesma cepa multirresistente do vírus, mas que nunca teve contato com o primeiro paciente.

Apesar de não haver conexão entre os pacientes infectados, os médicos franceses e também na Espanha, começaram a busca por qualquer outro paciente que possa ser portador dessa cepa do HIV, pois como os dois já identificados não se conhecem, e a transmissão ocorre sexualmente, é possível afirmar que ao menos mais uma pessoa é portadora.

Entretanto, o professor Pierre Delobel, chefe do departamento de doenças infecciosas do Hospital Universitário de Toulouse, em entrevista à revista francesa Têtu, afirmou que não há motivo para pânico, porque apesar de o estudo ter verificado a transmissão sexual do vírus e a cepa do HIV ser resistente a PrEP, normalmente um vírus desse tipo tem dificuldade de se reproduzir.

Além disso, os especialistas afirmam que mesmo com a resistência da nova cepa do HIV aos medicamentos, há opções de tratamento para os pacientes infectados.