Nicholas Yatromanolakis se tornou o primeiro ministro assumidamente gay na Grécia depois de ser nomeado vice-ministro da cultura na segunda-feira (4 de janeiro).

Nicholas Yatromanolakis foi nomeado vice-ministro da cultura em um momento inovador para a visibilidade LGBT+ na Grécia. (Instagram)
Nicholas Yatromanolakis foi nomeado vice-ministro da cultura em um momento inovador para a visibilidade LGBT + na Grécia. (Instagram)

Yatromanolakis foi promovido de seu cargo anterior de secretário-geral do ministério como parte da remodelação do gabinete do primeiro-ministro Kyriakos Mitsotakis.

O primeiro-ministro deixou a maioria dos principais funcionários do gabinete no lugar, com os ministros da saúde e finanças permanecendo em seus cargos, relata a Associated Press.

Yatromanolakis e outros ministros do governo de centro-direita tomarão posse na terça-feira, segundo relatos da mídia local.

O novo vice-ministro da cultura sempre apoiou os direitos LGBT+ ao longo de sua carreira, de acordo com o site grego Ta Nea.

LGBT+ da Grécia celebraram a promoção de Nicholas Yatromanolakis

Sua nomeação foi anunciada como uma vitória para a visibilidade LGBT +, com muitos elogiando o vice-ministro da cultura por representar pessoas queer nos mais altos escalões da política da Grécia.

Yatromanolakis, que regularmente posta fotos de seu cão de resgate Vrasidas e de seu gato Patrick no Instagram, estudou ciência política e relações internacionais na Universidade Panteion, na Grécia, antes de ir para os Estados Unidos para um mestrado em políticas públicas em Harvard.

Ao longo de seu tempo no governo, Yatromanolakis defendeu os direitos das crianças e defendeu o avanço dos direitos LGBT+.

Ele também exortou os gregos a usarem máscaras em público em um esforço para conter o aumento dos casos de coronavírus.

A nomeação de Yatromanolakis ocorre após vários anos de avanços nos direitos LGBT + na Grécia. As uniões do mesmo sexo são legalmente reconhecidas desde 2015 – no entanto, a igualdade no casamento total ainda não é uma realidade.

Houve também um avanço significativo nos direitos trans em 2017, quando os transgêneros finalmente receberam o direito de ter seu gênero legalmente reconhecido, sem passar por cirurgia de afirmação de gênero.

Carioca, antenado e intenso. Redator do Põe na Roda e Produtor Digital da Rádio Rio de Janeiro. Amante das artes, desde as cênicas até a fotografia. Taurino com 21 anos, apreciador raiz da cultura pop e um jornalista em construção.