Noticiamos mês passado o estudo da pesquisadora Lucy Neville, que confirmou que cerca de metade das mulheres heterossexuais assiste pornô gay para se entreter.

Pra se ter ideia, só em 2016, o site pornô de vídeos Pornhub revelou que mais de um terço (37%) do público que assiste pornô gay é formado por mulheres.

Mas por que elas assistem pornô gay? Foi a próxima questão respondida em um novo estudo da mesma pesquisadora, que trouxe resultados bem interessantes.

Entrevistando 500 mulheres, Lucy constatou que a razão principal identificada é bastante simples: estas mulheres afirmam que gostam de ver homens pelados. Parece bobo, mas é importante lembrar da crença cultural machista de que só o homem tem esse tesão visual todo e de que mulheres não gostam de ver homem pelado.

“Fora que a sociedade ainda tende a julgar a nudez masculina como grosseira, engraçada ou pavorosa. Só a nudez feminina é plenamente aceita e encarada com normalidade.”, afirmou Lucy.

E continuou: “Mas muitas mulheres, muitas vezes sem assumir, simplesmente gostam de apreciar a graça e beleza do corpo masculino sim”, explicou ela.



Aproveite e assista:



Um segundo motivo para o gosto das mulheres em ver pornô gay, é que o pornô hétero simplesmente não as atrai pois não valoriza a beleza masculina e tão pouco o desejo das mulheres. É feito apenas para apreciação dos homens heterossexuais.

“Muitas não assistem por se sentirem objetificadas e abusadas como muitas vezes mostra o pornô hétero e também por sentirem seus desejos ignorados”, concluiu a pesquisadora.

Também foi revelado que para muitas mulheres que já foram vítimas de homens abusadores, assediadores e estupradores, o pornô gay parece “mais confortável” de se assistir, sem as remeter aos traumas vividos e muitas vezes não totalmente superados.

Lucy ainda afirmou que muitas mulheres, ao assistirem pornô hétero, sentem culpa pela situação da mulher no vídeo, muitas vezes parecendo forçada, abusada ou ficando claro que está ali fingindo o prazer, sendo explorada ou sentindo dor na realidade.

Outra curiosidade revelada é que muitas destas mulheres dizem apreciar a “versatilidade” do pornô gay, algo inexistente no pornô hétero. Elas gostam da possibilidade de poder se surpreender quanto a quem será o penetrado ou penetrador, o dominante ou o submisso, algo sempre previsível (e bem chato!) no pornô hétero.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).