Uma pesquisa publicada pelo Boletim de Psicologia Social e Personalidade revelou que a nudez humana não faz com que seu cérebro necessariamente se excite.

A sugestão que muito mais imediatamente desperta o desejo, teria muito mais a ver com a posição de quem está na foto do que o corpo nu.

A equipe de pesquisadores envolvidos no estudo, da Universidae de Bruxellas, na Bélgica, mostrou diferentes imagens de diferentes gêneros aos participantes: homens e mulheres com rostos desfocados usando calças e tops pretos ou trajes de banho.
Em seguida, mostrou estas mesmas imagens com as pessoas nuas.

Os resultados mostraram que não há diferença perceptível necessariamente nas ondas cerebrais dos participantes quando a pessoas estão vestidas ou seminuas.

No entanto, quando foi apresentado aos participantes fotos dos modelos em poses sugestivas, como uma mão próxima a virilha insinuando algo mais sexual ou as mãos atrás da cabeça, por exemplo, aí os participantes já objetificaram o que viam e olharam a imagem com desejo.

Algumas das imagens mostradas aos entrevistados.

Os pesquisadores afirmaram que o estudo sugere que uma pose ou uma intenção sexual indica muito mais ao cérebro a objetificação do que a quantidade de roupas ou o corpo humano nu em si.

Uma bela lição pra quem confunde nudez e pornografia por aí, por exemplo quando criticam exposição de arte onde seja mostrado algo nu, e acusam por aí de ser inadequado, erótico ou até ofensivo.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).