Um estudo chamado “Tensão conjugal e sofrimento psicológico em casais homoafetivos e casais heterossexuais” constatou algumas diferenças entre casais de homens gays, mulheres lésbicas e heterossexuais. E os resultados são muito interessantes.

De acordo com a análise, casais formados por homens gays sofrem menos estresse em seus casamentos do que casais heterossexuais ou mesmo casais de lésbicas. Ao mesmo tempo, embora casais de lésbicas se estressem ligeiramente mais do que casais gays, as mulheres heterossexuais sofrem bem mais angústia do que as mulheres lésbicas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Michael Garcia, autor da pesquisa, disse ao New York Times que casais homoafetivos têm vantagens quando se trata de comparar níveis de estresse, de acordo com os resultados o estudo.

E os motivos não são poucos. Casais homoafetivos costumam dividir tarefas domésticas de forma mais igualitária, têm conversas mais profundas sobre seu relacionamento sexual e os papéis de gênero ao longo da vida tendem a permitir aos homens maior “autonomia emocional e independência”.

VEJA TAMBÉM:  Jovens fazem muito menos sexo do que se imagina, revela pesquisa

A socióloga Debra Umberson, da Universidade do Texas, diz que as mulheres vão “com tudo” e tentam sempre ler as necessidades físicas emocionais de seus parceiros. Em relacionamentos heterossexuais, homens foram socializados para acreditar que fornecer suporte emocional é responsabilidade da mulher.

“Mas isso é muito diferente quando uma mulher está em um relacionamento com outra mulher em comparação com um homem”, disse o professor Umberson ao jornal. “Com duas mulheres, há muita reciprocidade no trabalho de cuidado – com cada cônjuge ciente das necessidades e preferências do outro e respondendo ativamente a elas.”

Em relações héteros, maridos “tendem a considerar o trabalho de cuidar um ‘extra’, muitas vezes não estão cientes da dedicação de sua esposa e geralmente falham em reconhecer suas necessidades de apoio emocional”.

Embora isso hoje comece a ser questionado, papéis de gênero acabam ainda sendo determinantes nas tarefas domésticas entre casais heterossexuais, onde a expectativa é de que as mulheres façam a maior parte do trabalho de cuidado em casa.

VEJA TAMBÉM:  Campeã olímpica Rafaela Silva é pedida em casamento na Disney

De acordo com resultados do estudo, 74% dos casais homoafetivos compartilham as responsabilidades de cuidar dos filhos em comparação com apenas 38% dos casais heterossexuais, onde geralmente se assume que a mulher é a responsável por ser a cuidadora principal. Constatou-se também entre casais com filhos, que casais homoafetivos, de ambos os gêneros, também costumam passar mais tempo com os filhos estatisticamente do que os casais heterossexuais.

Ainda segundo os resultados, homens gays também são mais propensos a ter uma discussão profunda sobre as necessidades e expectativas emocionais e sexuais do que os casais heterossexuais ou lésbicas.

O estudo ainda observa que o número de relacionamentos abertos entre gays é maior, com estes casais sendo mais propensos a permitir sexo extraconjugal do que os outros, tendo frequentemente acordos detalhados e honestos sobre o que é ou não permitido.

VEJA TAMBÉM:  Prefeita da capital da Colômbia se casa com senadora do país

Curiosamente, ao mesmo tempo, homens gays têm estatisticamente menos relacionamentos estáveis, mas uma vez que formalizam o relacionamento, tendem a ter uniões tão estáveis ​​quanto casais de homens e mulheres e mais estáveis ​​do que relacionamentos entre mulheres e mulheres.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).