A Ordem dos Advogados do Brasil do Mato Grosso (OAB-MT) e a Federação Matogrossense de Futebol (FMF) realizam uma campanha para conscientizar os torcedores sobre a LGBTfobia e racismo dentro e fora dos estádios.

Por meio das comissões da Diversidade Sexual, de Defesa da Igualdade Racial e de Esportes, a ação foi lançada durante o Campeonato Mato-grossense Martinello Sicredi 2020. Além de serem atitudes criminosas, xingar o árbitro, os jogadores e torcedores adversários com ofensas às suas características étnico-raciais, de orientação sexual ou de identidade de gênero podem custar até três pontos ao time. 

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

“Não existe mais espaço na sociedade para tolerar qualquer tipo de discriminação. Injúria racial, racismo, homotransfobia são crimes e, dentro dos estádios não pode ser diferente, pelo contrário, um espaço onde devemos desfrutar de bons momentos com nossos filhos e torcer pelo time do coração deve ser cercado pelo respeito”, destacou o presidente da OAB-MT, Leonardo Campos.

VEJA TAMBÉM:  Alckmin veta lei que proibiria homofobia em estádios

Conforme os dados da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp), em 2019 foram registradas no Mato Grosso 139 ocorrências com motivação homofóbica e 169 relacionadas a racismo, preconceito e discriminação racial. “Estes são números que não podemos ver crescer no Estado e, muito menos, nos estádios. O que o mato-grossense merece ver são números cada vez maiores de gols e belas defesas”, ressalta Leonardo Campos.