A polemica da semana do Governo Bolsonaro (PSL) foi em torno de uma carta direcionada as escolas pelo MEC, onde esse orientava que as escolas perfilassem os alunos para cantar o hino nacional e gravasse o vídeo. Escola sem partido, né? Mesmo após o Ministério da Educação anunciar que foi um equívoco, pedir que o slogan do atual governo fosse proferido ao término do Hino, a história meio que não colou. Com isso, o deputado federal, Túlio Gadêlha (PDT-PE), se utilizou da tribuna da Câmara na última quarta-feira (27) e criticou a atitude do presidente eleito. O parlamentar pernambucano afirmou que a presepada até poderia ser uma boa ideia; tão boa que o deputado desafiou o atual presidente a cantar corretamente o hino.

VEJA TAMBÉM:  Coordenadoria LGBT de Olinda é homenageada com Placa pelo AMOTRANS

Túlio foi anda mais longe em sua fala: “Mas na carta, o ministro pediu também que a ação fosse filmada e lida uma mensagem que era concluída com o slogan da campanha eleitoral do presidente Jair Bolsonaro, uma solicitação de manifestação de autoritarismo inédita na história do brasil. Eu queria falar para o senhor ministro da Educação: ‘é ilegal, senhor ministro da Educação, filmar, utilizar imagem de crianças sem prévia autorização de seus responsáveis. Sua solicitação fere, acima de tudo, a autonomia da gestão nas escolas”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O deputado criticou que deveria filmar sim, mas problemas estruturais dento das unidades de ensino. E concluiu sua fala utilizando o slogan de Bolsonaro para criticá-lo mais uma vez: “Precisamos ter responsabilidade. Nenhum governo pode estar acima de tudo e nenhuma crença pode estar acima de todos”.

VEJA TAMBÉM:  Ricardo Lewandowski afirma que kit gay era “obviamente inverossímil”