O presidenciável Jair Bolsonaro fez, na tarde de ontem (21), um dos discursos mais autoritários e agressivos desde o início da campanha eleitoral.

Do Rio de Janeiro, ele entrou ao vivo pelo telão na Av. Paulista, em São Paulo, durante manifestação que ocupou parte da avenida.

Enquanto os manifestantes assistiam, Bolsonaro gritava a plenos pulmões, em pé, no quintal de sua casa, mostrando uma saúde invejável, que poderia usar para enfrentar o debate cara a cara com seu adversário, Fernando Haddad. Mas, para isso, ele precisaria ter coragem e plano de governo.

Aos gritos, Bolsonaro disse que pretende fazer uma “faxina” para limpar o Brasil das pessoas que discordam dele: “Essa turma, se quiser ficar aqui, vai ter que se colocar sob a lei de todos nós. Ou vão pra fora ou vão pra cadeia. Esses marginais vermelhos serão banidos de nossa pátria”.

Dentre outros absurdos e desumanidades, o ex-capitão também afirmou que, em seu governo, todos os movimentos populares seriam criminalizados e citou o MST, Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, e o MTST, Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, como exemplos de movimentos que deixariam de existir em seu governo.

Ele disse que manifestar-se será considerado terrorismo e que isso será coibido com “a lei no lombo”. Para Bolsonaro, se alguém for contra o que ele prega, a pessoa irá “fazer companhia ao cachaceiro de Curitiba”, referindo-se ao ex-presidente Lula.

Bolsonaro disse que “os petralhas irão para a ponta da praia (quis dizer um palavrão), porque ele irá cortar todas as mordomias dos integrantes do Partido dos Trabalhadores”. O que Jair Bolsonaro esqueceu de citar em sua fala são as mordomias dele mesmo, que ele defende tanto, por exemplo, como no vídeo abaixo:

Segundo informações da página Jornalistas Livres, um deputado federal custa para o governo R$ 179.000,00 por mês (salário + despesas + auxílios + assessores), totalizando mais de 2 milhões de reais por ano. Jair Bolsonaro foi eleito deputado federal pela primeira vez em 1990, assumindo o cargo em 1991.

Até o mês de outubro de 2018 ele custou ao governo R$ 59 milhões e 786 mil reais, recebendo, inclusive, um auxílio moradia de, no valor atual, R$ 4.253,00 mesmo tendo imóvel próprio. Bolsonaro custou caro aos cofres públicos, mas aprovou apenas 2 Projetos de Lei em 28 anos.

Assista ao vídeo do discurso na íntegra abaixo:

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).