Na última quarta-feira, dia 09 de janeiro, foi publicado o resultado de uma pesquisa realizada pela “Stonewall Scotland”, na Escócia, a qual revelou que sete em cada dez pessoas trans sofreram depressão no ano passado.

A pesquisa que foi realizada com 1.261 pessoas da comunidade LGBTQ+ da Escócia revelou também que 52% das pessoas trans já pensaram em tirar a própria vida e 49% sofreram depressão no último ano.

Das pessoas entrevistas, 37% disseram que evitam tratamento médico porque temem a discriminação, e outras 24% revelaram que já ouviram comentários preconceituosos contra as pessoas LGBTQ+ pelos funcionários dos hospitais.

Um dos entrevistados na pesquisa disse o seguinte: “Eu tenho experimentado diversas atitudes preconceituosas em relação a mim por parte de prestadores de serviços de saúde mental devido eu ser trans, alguns do Serviço Nacional de Saúde e outros não”.

As descobertas da Stonewall Scotland baseiam-se em pesquisas anteriores que mostram que as pessoas LGBTQ+ são desproporcionalmente afetadas por problemas de saúde mental, como a depressão. (Wikimedia Commons)

“A equipe de saúde sempre fazem questionamentos intrusivos e completamente irrelevantes sobre minha transição e outros aspectos de ser trans.”, afirmou outro entrevistado.



Assista também:



Em outra pesquisa realizada pela Stonewall, em novembro de 2018, mostrou que metade das pessoas LGBTQ+ na Grã-Bretanha tiveram depressão no ano passado. No mesmo ano, no mês de setembro, uma pesquisa realizada pela Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, descobriu que 51% dos adolescentes do sexo masculino trans – e 30% das adolescentes do sexo feminino trans – tentaram suicídio. Além disso, outra pesquisa feita nos EUA no ano de 2015 apontou que um em cada quatro adultos trans relatou a tentativa de suicídio.

Maikon Stefan
Amante do teatro, tv e de Harry Potter, formado em Técnico em Administração e Bacharel em Ciência e Tecnologia (UNIFESP-SJC). Atualmente cursa Engenharia de Materiais (UNIFESP-SJC). Também foi Presidente da Empresa Júnior (Ectm Jr). "Me chama pra causar que eu vou".