Enquanto o brasileiro médio mostra toda sua ignorância acreditando em fake news de kit gay (nada mais que um material anti-homofobia que seria incluso no ensino de sexualidade a pré-adolescentes de 10 e 11 anos de idade) e mamadeira de piroca no Brasil, e achando que não cabe a escola discutir sexualidade com alunos, na Alemanha, a disciplina é parte obrigatória do currículo escolar.

Em uma nação desenvolvida e sem tantos preconceitos vindos de religiões e ignorância, na Alemanha, ensinar sobre sexualidade é algo que cabe à escola e não somente à família.

Há um consenso não só na Alemanha, mas em maior parte dos países europeus, de que a família pode não ter base ou conhecimento suficiente para dar o ensino adequado quanto a sexualidade para pré-adolescentes e adolescentes. Sendo assim, o papel da escola é fundamental.

Vale lembrar que o ensino de sexualidade na idade adequada ajuda muito a prevenir gravidez na adolescência e infecções sexualmente transmissíveis entre jovens, além de, em casos extremos, ainda ajudar a coibir, prevenir e/ou descobrir casos de abuso sexual dentro da própria família.

Ainda conforme a reportagem do Portal DW, na Alemanha, por lei, os 16 estados federais alemães são obrigados a promover a educação sexual nas escolas em parceria com instituições de aconselhamento familiar, com base num currículo nacional. A Central Alemã de Esclarecimentos sobre Saúde (BZgA), criada em 2003 como um centro especializado da Organização Mundial da Saúde (OMS), é a principal responsável pela implementação das diretrizes, que são guiadas pelos Padrões para a Educação Sexual na Europa (2010).

Além de falarem sobre métodos contraceptivos e infecções sexualmente transmissíveis, professores alemães também ensinam princípios de respeito a diversidade sexual, questões de gênero prevenindo a evasão escolar de pessoas trans, e ainda promovendo valores sociais e emocionais ligados a sexualidade.

Como resultado, o índice de uso de preservativo entre jovens alemães é alto comparado a outros países atrasados nestas questões como o Brasil e a taxa de gravidez na adolescência é baixíssima.

Segundo a Unesco, a educação acerca da sexualidade no ensino é fundamental e urgente. Para quem acha que isso significa estimular a sexualidade, engana-se. Sabe-se que abordar o assunto estimula jovens a criarem responsabilidade sobre sua própria saúde sexual e reprodutora.

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).