Quase quatro em cada dez pessoas acham que é “inapropriado” para uma criança de 6 anos aprender que ser gay é OK, ou ensinar educação sexual nas escolas, com pouco mais da metade das pessoas pensando que está tudo bem, é o que diz um estudo com 2.363 pessoas, com 16 anos ou mais, que moram no Reino Unido sobre suas opiniões em relação às pessoas LGBTQ+

Conforme o novo currículo de educação sexual e relacionamentos entra em vigor em toda a Inglaterra, o Kantar conduziu um estudo sobre as atitudes em relação à comunidade LGBTQ+. Embora o estudo tenha encontrado altos níveis de conforto em relação a pessoas LGBTQ+ serem professores, 91% a favor de gays, lésbicas e bissexuais e 77% de pessoas trans, ele ainda descobriu que quase quatro em cada dez pessoas (38%) o consideraram “impróprio ” para uma criança de 6 anos aprender que não há problema em ser gay.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
VEJA TAMBÉM:  Mapa identifica cidades e países mais amigáveis e seguros para os LGBTQ

O estudo descobriu que 52% das pessoas discordaram desta afirmação. Ele também descobriu que ambos os números diminuíram quando se tratou de um menino de 12 anos sendo ensinado que ser gay é bom. 30% das pessoas acharam que isso seria “inapropriado”, enquanto 50% discordaram da afirmação.

Também descobriu que mais pessoas achavam que era “impróprio” ensinar crianças de 6 anos sobre a comunidade trans (40%), mas que mais pessoas (57%) discordavam da afirmação. Ambos os números caíram novamente quando se tratou de jovens de 12 anos, com 35% das pessoas pensando que era “inapropriado” e 54% discordando da afirmação.

Sem surpresa, o estudo descobriu que os jovens, em geral, apoiavam mais a comunidade LGBTQ+ do que os mais velhos. Em questões sobre como se sentir confortável com vizinhos, gerentes ou primeiro-ministro LGBTQ+, 94% das pessoas de 16 a 24 anos se sentem confortáveis ​​com isso, em comparação com apenas 73% das pessoas com mais de 75 anos.