Um diácono da igreja católica foi preso nesta semana por tentar fazer sexo com um garoto de 14 anos que ele conheceu no site gay Grindr, disseram as autoridades de Maspeth, um bairro de Nova York.

Acontece que Rogelio Vega, 50, estava na verdade conversando com um detetive disfarçado que se fazia passar por um jovem, de acordo com os promotores. “Este réu, pelo que parece, é um homem de família que vai à igreja. Infelizmente, ele é um predador sexual que procurou um adolescente para atender às suas necessidades.”

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Vega, um diácono da Igreja Católica Romana de São Sebastião em Woodside, supostamente começou a usar o aplicativo Grindr em julho de 2020 para se comunicar com o disfarçado que ele pensava ser um menor de idade. Pai de quatro filhos, supostamente pediu ao garoto que lhe enviasse nudes e compartilhou várias fotos de seus órgãos genitais com ele.

VEJA TAMBÉM:  Policial cria armadilha pra prender homem de 27 anos que marcou encontro com menino de 14 anos no Grindr

Em uma ocasião, quando Vega pediu ao “adolescente” para encontrá-lo pessoalmente para sexo oral, o detetive fingindo ser o menino disse que sua mãe não estava em casa e que ele poderia ter problemas se saísse.

Implacável, o diácono pressionou o jovem para o encontro, e eles concordaram em se encontrar em um local combinado em 19 de janeiro. Quando Vega chegou, ele supostamente acendeu os faróis para se identificá-lo e o policial disfarçado subiu no carro e o prendeu.

Diácono é casado e foi preso, mas saiu sob fiança

Vega foi processado na quarta-feira por uma acusação de tentativa de uso de uma criança em uma performance sexual, tentativa de ato sexual criminoso, tentativa de disseminação de material indecente a um menor e tentativa de colocar em risco o bem-estar de uma criança, pela qual pode pegar até sete anos de prisão.

VEJA TAMBÉM:  Mais de 80% dos abusos com crianças são praticados por homens heterossexuais em meninas, mostra estudo

Ele foi libertado sob fiança de US $ 50.000, disseram as autoridades ao NYPost. O advogado de defesa de Vega, Jameson Dunn, e a Igreja Católica Romana de São Sebastião não retornaram imediatamente os pedidos de comentários.