O arcebispo de Cantebury no Reino Unido, Justin Welbi, afirmou em uma leitura do evangelho na última quarta (21) na igreja e St Martin-in-the-Fields na Trafalgar Square em Londres, que Deus não é do gênero masculino e nem feminino, mas sim neutro.

Segundo o The Times, ele também afirmou no ano passado que garotos usarem roupas femininas não era um problema, explicando que toda imagem humana sobre Deus é inadequada e metafórica.

“Deus não é um pai exatamente da mesma maneira que um ser humano. Deus não é homem e nem mulher Deus não tem definição”, afirmou o arcebispo.

“É importante que cristãos se lembrem que a revelação de quem Deus é, não está nas palavras, mas na palavra de Deus que chamamos de Jesus Cristo. Não podemos limitar Deus”, afirmou.

Arcebispo Justin Welbi.

Seria então Deus, gênero-neutro ou não binário?

Bem, tanto as igrejas católicas quanto protestantes já aprovam este modo de ver a Deus. Nos artigos de orientação da Igreja da Inglaterra , um documento que remonta a 1562, Deus é definido como “sem corpo, partes ou paixões”.

Essa descrição retrata Deus como um ser neutro em termos de gênero – assim como um sem sexualidade – de uma maneira uniformemente positiva, seguindo a mesma frase para elogiar a “sabedoria e bondade” da divindade.

O Catecismo da Igreja Católica afirma que Deus pode ser comparado a um pai ou uma mãe, mas também não deve ser visto como estando literalmente.

“A ternura parental de Deus também pode ser expressa pela imagem da maternidade”, diz, antes de avisar que “os pais humanos são falíveis e podem desfigurar a face da paternidade e da maternidade.


Assista também:


“Devemos, portanto, lembrar que Deus transcende a distinção humana entre os sexos. Ele não é homem nem mulher: ele é Deus.

“Ele também transcende a paternidade e a maternidade humana, embora seja sua origem e padrão: ninguém é pai como Deus é Pai”.

No ano passado, a igreja da Suécia aconselhou seu clero a parar de se referir a Deus com pronomes masculinos.

A igreja nacional da Suécia, uma denominação evangélica luterana, fez a mudança como parte de um esforço de modernização que pedia aos líderes que deixassem de lado identificadores masculinos como “ele”, “pai” e “o Senhor”.

Ao invés de usar a frase “o Pai, o Filho e o Espírito Santo” durante os cultos da igreja, o clero foi instado a dizer: “Deus e a Santíssima Trindade”.

A sensação pop norte-americana Ariana Grande também abordou o desequilíbrio de gênero no modo como muitas religiões vêem Deus como homem ao lançar sua canção “God Is a Woman” no início deste ano, com um vídeo que mostrava Madonna fazendo o papel de Deus .

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).