O ex-presidente americano George H. W. Bush morreu no último dia 30 de novembro aos 94 anos. Ele foi o 41º presidente dos Estados Unidos, de 1989 a 1992.

Na questão LGBT, assim como quase toda sociedade na década de 80, ele era ainda extremamente homofóbico e ignorante em relação a diversidade.

Ainda antes de ser presidente, quando foi vice de Ronald Reagan, no auge da crise da AIDS, quando a então nova doença foi descoberta e a população gay estava sendo dizimada, a administração Reagan se manteve em silêncio durante muito tempo sem tomar qualquer atitude para defender as vítimas.

Reagan inclusive sequer mencionava AIDS em seus discursos até 1985 quando mais de cinco mil americanos – principalmente gays – já haviam falecido do vírus.

O curioso é ver a mudança de pensamento de George H. W. Bush. Na década de 80, conservador e homofóbico declarado, ele se dizia totalmente contra a união gay. Em 1988, quando ativistas começaram a demandar a legalização do casamento gay pela primeira vez na história, ele se disse contra e afirmou simplesmente quando perguntado: “O povo americano não quer o reconhecimento destes casamentos homossexuais!”.


Assista também:


Entretanto, em 1990 ele foi o primeiro presidente a sancionar uma Lei Contra Crimes de Ódio que reconhecia orientação sexual como uma questão a ser protegida pelo Estado dentre as possibilidades de crime amparadas pela lei.

Já em 1992, ele declarou em entrevista ao The New York Times na época em que se começou a discutir a possibilidade de casais homoafetivos adotarem crianças: “Não posso aceitar como normal esse estilo de vida de pessoas do mesmo sexo que se relacionam e  querem ser pais”.

Ainda assim, ele veio evoluindo na questão. Falando sobre o horror que ainda era a AIDS na década de 90, George afirmou justificando o amparo do Estado: “Depois de infectados, não podemos culpar os que sofrem. Devemos dar amor e confortá-los. Não adianta evitá-los, rejeitá-los”.

Ainda assim, a palavra “gay” nunca foi dita pelo presidente, de acordo com um levantamento do Humans Right Campaign.

Com a idade e evolução da sociedade entretanto, parece que o ex-presidente amadureceu e muito. Prova disso é que, em 2013 ele e a esposa foram vistos no casamento de uma amigo gay dos dois de longa data.

Sobre a ocasião, ele disse ao seu biógrafo Jon Meacham em 2015: “Pessoalmente, acredito ainda no casamento tradicional. Mas as pessoas devem sim ser felizes pra fazer o que quiserem, sem discriminação. As pessoas tem o direito de serem felizes. Posso dizer que eu amoleci”, afirmou o ex-residente.

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).