Dois esqueletos romanos antigos encontrados em uma tumba juntos de mãos dadas, que se acreditavam ser um casal hétero, na realidade eram homens, revelaram cientistas em uma matéria publicada pela BBC.

Os arqueólogos escavaram originalmente o par de restos mortais que ficou conhecido como “Amantes de Modena” em 2009, encontrados em um canteiro de obras na Itália. Muitos relatos da imprensa da época supuseram erroneamente que o casal era homem e mulher. A Fox News chegou a chamar o fato de “descoberta tenra” na época.

De acordo com análises laboratoriais, estima-se que os esqueletos tenham cerca de 1.500 anos, enterrados entre os séculos IV e VI.

Na verdade, os pesquisadores não tinham a capacidade de determinar com precisão o sexo dos restos esqueléticos, que foram mal preservados em uma necrópole de 11 tumbas. Mas uma nova análise do esmalte dentário revela que os esqueletos eram ambos do sexo masculino. Entretanto, o grau de relação entre os homens falecidos permanece desconhecida.

O Conselho Europeu de Pesquisa financiou o novo exame dos restos mortais que determinou o gênero dos fósseis a partir da proteína encontrada no esmalte: “Identificamos o sexo dos indivíduos considerados neste estudo, usando peptídeos de esmalte”, escreveram os pesquisadores.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Imagem relacionada

Alguns arqueólogos da equipe de escavação original presumiram originalmente que um dos esqueletos fosse feminino apenas por causa de sua estrutura menor, mas a nova análise encontrou “um marcador robusto do sexo masculino”. A nova pesquisa sugere que o homem tinha cerca de 20 anos na época de sua morte.

Dito isto, a descoberta permanece surpreendente para os arqueólogos. E não está claro o motivo pelo qual ambos estavam de mãos dadas: “A literatura carece de qualquer evidência comparável (ou seja, homens de mãos dadas) em termos de contextos geocronológicos análogos”, diz o artigo científico.

E continuou: “Além disso, ao nosso conhecimento, esse gesto era incomum na época para dois homens, se não totalmente não representado na arte da Antiguidade Tardia ou, em geral, antes dos tempos modernos”.

Já houve notícias de casais heterossexuais enterrados juntos na mesma época, às vezes em um abraço ou mãos dadas. Sendo assim, a posição leva a crer em algum laço entre ambos: “Sugerimos que o enterro de ‘Amantes de Modena’ represente uma expressão voluntária de compromisso entre dois indivíduos”, escreveram pesquisadores.

Mas não está claro e nem tem como estabelecer pela ausência de registros históricos, se o compromisso dos dois era de fato romântico. Os dois também podem ser apenas parentes, afirmam alguns pesquisadores céticos quanto ao fato deles terem sido amantes em uma época da Era Romana, justamente quando os dois viviam, em que a homossexualidade era proibida.

“Embora não possamos excluir a hipótese de que esses dois indivíduos estavam realmente apaixonados, é improvável que as pessoas que os enterraram decidiram mostrar esse vínculo posicionando seus corpos de mãos dadas naquela época em uma hipótese de manifestação deliberada de um relacionamento homossexual”, observam os pesquisadores.

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).