A Câmara dos Deputados do Canadá concordou, em princípio, em proibir a “terapia de conversão”, conhecida como “cura gay” em todo o mundo, para LGBT+ em uma votação esmagadora.

Mas, embora a Câmara tenha votado 308 a sete a favor, alguns conservadores da oposição estão insatisfeitos. Muitos estão exigindo mudanças no projeto de lei antes que se transforme em lei. O líder conservador Erin O’Toole votou a favor do próprio projeto de lei.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

No entanto, enquanto a maioria de seus 121 deputados votou com ele, sete votaram contra. Outros dois conservadores se abstiveram. E mais oito deixaram claro que estavam apenas apoiando o projeto com reservas. Eles esperam que o comitê de justiça dos deputados faça emendas antes de prosseguir.

A batalha contra a cura gay continua

O projeto vai proibir a “terapia de conversão“, destinada a mudar a orientação sexual ou identidade de gênero, para menores. Também proibirá as pessoas de forçar um adulto a se submeter à terapia de conversão contra sua vontade.

VEJA TAMBÉM:  Assista à cena em que personagem se revela gay em série da Disney

Segundo as propostas, também será ilegal tirar um menor do Canadá para que ele possa ter uma “cura gay” no exterior. Além disso, será ilegal lucrar com o fornecimento de “terapia de conversão” ou anunciar que você a fornece.

Especialistas independentes em todo o mundo, incluindo todos os principais órgãos psicológicos e psiquiátricos, concordam que não há evidências científicas de que a “terapia de conversão” funcione.

Eles também concordam que muitas vezes causa danos significativos à vida de LGBT+. A Associação Psicológica Canadense alerta que isso pode resultar em problemas como ansiedade, depressão, dificuldade de manter relacionamentos e disfunção sexual.

Apesar disso, alguns estão ansiosos para ver isso continuar – especialmente entre as organizações religiosas. Na verdade, em todo o mundo, são os grupos religiosos que conduzem a maioria das chamadas ‘curas’ e ‘terapias’, ao invés de psicólogos ou terapeutas.

VEJA TAMBÉM:  Alemanha proíbe “cura gay” em menores de idade

Segundo o GSN, se tiverem sucesso, o Canadá se juntará a Malta, Equador, Brasil, Taiwan e Alemanha, que já têm proibições legais nacionais.