Zoey revelou para a esposa cis, Kelly, que era uma mulher trans após dez anos de casamento e dois filhos, na véspera do Ano Novo de 2018. Atualmente, as duas estão há quase 12 anos, dois desde que Zoey decidiu ser como ela se sentia.

Em entrevista à Pink News, o casal falou sobre quais são as perguntas mais invasivas e inapropriadas que costumam receber. “As pessoas parecem pensar, porque eu sou transgênero, que elas podem se safar fazendo esse tipo de pergunta. O questionamento mais idiota que recebi é se agora estou atraída por homens. Eu nunca fui atraída por homens”, relata Zoey.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Zoey acrescenta que: “Gênero e sexualidade são duas coisas completamente diferentes. Se você é transgênero, isso não significa que suas preferências sexuais vão mudar”.

Já que Kelly conta que também teve a sua sexualidade questionada diversas vezes: “As pessoas me perguntam se eu ainda estou interessado nas… partes genéricas do corpo masculino. Tipo, perguntas realmente diretas. As pessoas tocam em [Zoey] de forma inadequada”.

Quando Zoe falou para a esposa como se sentia, temeu perder tudo. “Estou em desacordo comigo há muitos e muitos anos. Eu questionei minha identidade de gênero desde criança, provavelmente com cerca de oito anos de idade, e a suprimi desde então”, relembra.

Ela disse que só teve coragem de sair porque sabia da esposa incrível que tem, mas Kelly insiste que: “Acho que não fiz nada, além de amar você. Você ainda é a pessoa por quem me apaixonei. Você é mais feliz e é apenas mais você”.

“Em um nível egoísta, eu estava pensando: ‘Por que você não me contou antes?’ Mas em um nível altruísta, não consigo imaginar o quão difícil foi para você”, conta Kelly.

O casal disse que explicou a transição de Zoey aos filhos “gentilmente”. Elas perguntaram as crianças, quando ainda usavam o termo “papai”: “Como você se sentiria se papai usasse essas roupas com mais frequência?”

Kelly afirma que as crianças “não se incomodaram”. “Era literalmente como se isso não importasse, desde que você fosse feliz. Eles foram incríveis. Eles simplesmente não vêem o mundo de maneira julgadora ou em preto e branco”.