E se a gente conseguisse unir duas coisas maravilhosas em uma coisa só? Foi essa a ideia de Tayná Maísa, uma jovem cozinheira do Recife, que está bombando na internet com o “picalé“.

A ideia surgiu durante um trabalho para o curso de confeitaria que Tayná estava fazendo. A proposta era fazer algum doce para pessoas com deficiência auditiva e também para a população LGBTQ+. Em entrevista para o site Universa, a recifense contou detalhes da ideia.

“Fiquei pensando com os meus amigos e, como somos muito brincalhões, queríamos um doce bem colorido, divertido, que pudesse ser vendido também no Carnaval. Inicialmente, a ideia era fazer um bolo de rolo no formato de pênis que seria chamado ‘bola de rola’. Mas achei que seria difícil de chamar a atenção na folia, então fiquei pensando em alternativas. Até que sonhei com um picolé de rola.”

Para testar o “picalé”, a cozinheira fez vários testes e deu para vizinhos e até sua mãe experimentar. “Ela nunca imaginou que eu faria algo assim, porque ela é evangélica e vai contra os princípios dela. Mas, além disso, ela também me ajudou“, explicou ela.

O picolé é feito por encomenda por enquanto, mas Tayná pretende vender bastante no Carnaval de Olinda. O sorvete é coberto com chocolate e tem vários recheios, inclusive de cachaça, no valor de 5 reais. O slogan não poderia ser melhor: “chupa que hidrata”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A publicação de Tayná no Twitter viralizou e ela está pensando até em uma equipe para ajudar nas vendas nesse Carnaval. Ela explica que a proposta é uma brincadeira e não tem a intenção de sexualizar os homens: “É uma maneira criativa de ganhar dinheiro, porque não está fácil para ninguém“.

Avatar
21 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.