Hoje em dia, o cenário LGBTQ+ é múltiplas vezes mais mainstream e disseminado que há 20, 30 anos atrás.

Puxado pela febre do “RuPaul’s Drag Race“, essa arte tão linda e necessária conseguiu sair de uma pequena bolha e atingir não só outras camadas da comunidade LGBTQ+, mas também atingir – mesmo que ainda superficialmente – as grandes massas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

É óbvio que, se estamos aqui onde estamos hoje, muita gente teve que dar a cara a tapa e brigar por representatividade e espaço. Muitas drag queens e transformistas brasileiras, desconhecidas para a atual geração, se tornaram pioneiras no Brasil e abriram caminho para que Pabllo Vittar ser o fenômeno que é hoje em dia, por exemplo.

Para disseminar a palavra e nos informar sobre um passado não tão distante, Duda Dello Russo fez uma thread no Twitter para nos apresentar quem foram essas pavimentadoras do cenário LGBTQ+ no Brasil.

Temos Kaká Di Poli, Silvetty Montilla, Dimmy Kier (ou Dicesar), Veronika, Marcia Pantera, Miss Biá, Michelly Summer, Victoria Principal, Alexia Twister, Salete Campari, Ikaro Kadoshi, Thalia Bombinha, Marcinha do Corinthi, Diana Finsk, Nanny People, Léo Áquila e Isabelita dos Patins na thread.

Confira abaixo: 

Avatar
22 anos, geminiano, mineiro, jornalista formado pela UEMG. Apaixonado por música e artes de modo geral. Ex-bailarino na teoria mas danço nas festinhas bastante. Sonho em ser amigo da Rihanna e da família da Beyoncé. Provável futuro ex-bbb e quem sabe vencedor da Fazenda.