O historiador Mark Hignett encontrou cartas de amor entre o soldado Gilbert Bradley e o civil Gordon Bowsher, que remetem a 2° Guerra Mundial. A história dos dois ficou escondida por décadas, até Gilbert morrer em 2008 e a empresa imobiliária vendeu as cartas, Hignett as comprou pelo eBay.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Em matéria da revista Aventuras na História, o historiador conta ter pensado que o soldado estava trocando correspondência com alguma noiva, porque ambos assinavam com “G”. Além disso, ele revela que cartas e outros registros de relações homossexuais são muito raras, sendo a maioria destruída para evitar perseguições, já que ser LGBT+ na época era ilegal.

Após conseguir as cartas de Gilbert, Hignett começou uma busca pelas outras peças do romance. Ele descobriu que o soldado não queria estar no exército, mas foi convocado pelo governo em 1939, com ordens para ser treinado como artilheiro de aviões no “Park Hall Camp em Oswestry”.

Gilbert conheceu Gordon após um ano de serviço, em 1939. O civil era de uma família rica, que tinha uma empresa de transporte marítimo fornecedora de mercadorias da Grã-Bretanha por vários territórios, e teve uma química imediata com o soldado.

Apesar de serem obrigados a manter a relação em segredo, devido a distância, a guerra e o preconceito, o casal sonhava nas cartas com um mundo melhor, em que pudessem falar abertamente do romance e contar para os familiares e amigos: “O resto do mundo não tem ideia do que é nosso amor”.

Devido a distância, os dois se relacionaram com outros homens, mas sempre com transparência ao outro. Eles fizeram um acordo: tudo que acontecesse na guerra ficaria lá, afinal “[eu entendo] por que eles se apaixonaram por você. Afinal, eu também me apaixonei”, escreveu Gordon.

Os registros do historiador mostra que eles mantiveram contato até 1945, o motivo do termino ainda é desconhecido. A reportagem do Aventuras na História levanta algumas hipóteses: Gordon pode não ter aguentado o relato do namorado com outros homens ou, com o agravamento da guerra, Gilbert acabou desistindo de voltar para o amado e resolveu parar de responder.

Ao menos um desejo do casal pode se realizar: “não seria maravilhoso se todas as nossas cartas pudessem ser publicadas no futuro em um momento mais esclarecido. Então todo o mundo possa ver como estamos apaixonados”.

Fotos: Divulgação/ Aventuras na História

VEJA TAMBÉM:  Em vídeo, LGBTs históricos contam como aconteceu a 1ª Parada de SP em 1997; assista