O modelo Laith Ashley, de 28 anos, acaba de se tornar o primeiro homem transgênero a integrar o elenco de RuPaul’s Drag Race. Ele deve aparecer como um dos assistentes de palco e que participa dos muitos desafios de RuPaul às queens competidoras.

É como a gente queria que fosse o programa Fantasia do SBT.

O rapaz apareceu pela primeira vez no último episódio da temporada 10 do reality, em uma mini-challenge em que as queens deveriam jogar o jogo Pants Down Bottoms Up.

Laith em sua primeira participação em RuPaul’s Drag Race.

Não se sabe ainda com certeza, mas é provável que RuPaul mesma tenha tido a iniciativa de integrar o modelo ao elenco do programa após a repercussão negativa que rolou alguns meses atrás quando afirmou em entrevista que pessoas trans não poderiam competir em seu reality, o que pra RuPaul seria visto como uma “desvantagem” aos participantes homens cisgêneros que se desafiam na arte da montação tendo que parecer o mais feminino possível, dentre outros muitos atritutos e talentos necessários que compõe a arte de ser drag, é claro.

Na época, RuPaul pediu desculpas pela afirmação e reconheceu que deve rever seus conceitos, e que como todos nós, está aprendendo.

Procurado pelo Huffington Post, Laith afirmou: “Quero mostrar a todos que sim, sou um homem trans, mas sou mais do que isso. O mesmo vale para todas as pessoas trans.”

E continuou a falar sobre a realidade de transgêneros e a confusão que nós cisgêneros muitas vezes fazemos: “A transição de cada pessoa trans é algo muito particular. Sua própria história, jornada, identidade, transformações ou não do corpo. Não necessariamente uma pessoa trans rejeita seu próprio corpo, órgãos ou sente que nasceu errado. Isso, é claro, não invalida quem passou por uma história diferente.”

(continua abaixo…)


Veja também:


Na mesma entrevista, Laith também usou Caitlyn Jenner como exemplo para falar da disfarçada transfobia e julgamento ao qual transgêneros são constantemente submetidos: “Com a Cait as pessoas ficam por aí dizendo: Vou chamar de Caitlyn, vou chamar de Bruce… como se fosse uma opção. Isso é um desrespeito!”

Nas redes sociais, o modelo já faz o maior sucesso. Seu Instagram conta com mais de 192 mil seguidores. Cata umas fotos desse “omão da porra” abaixo:

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).