Passar por tantas mudanças físicas e psicológicas para ser quem realmente é, mas a voz ainda pertencer a antiga identidade. Essa é uma dificuldade que muitos transexuais enfrentam na mudança de gênero e que tratada, os ajudam a encarar a vida de forma mais natural.

A cirurgia de mudança de voz, também chamada de tireoplastia, é opção para melhorar a autoestima para muitas pessoas, inclusive para o público transsexual, que não se identifica com o gênero no qual nasce. A cirurgia pode ser realizada tanto em homem quanto em mulher trans. O tipo 3 que transforma a voz feminina em masculina e o tipo 4 muda a voz masculina para feminina.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

O procedimento é realizado com o paciente acordado, para que ele possa escolher o tom de sua voz que tanto sonha. “O procedimento dura pouco mais de 30 minutos, e ao longo dele fazemos a modulação para que o paciente se ouça e saiba o resultado que terá”, explica o otorrinolaringologista, especialista em mudança de voz, Dr. Thiago Zago.

VEJA TAMBÉM:  Empreendedor lança loja virtual voltada para informações sobre HIV

Para aqueles que têm medo de realizar o procedimento, o especialista explica que não há riscos do paciente perder a voz durante a cirurgia e faz um alerta. “Pacientes que possuem a voz grossa e querem afiná-la, é indicado antes da cirurgia passar por um procedimento com botox que mostra provisoriamente como a voz vai ficar, já que em esse tipo é irreversível.  Para quem tem a voz fina e quer mais grossa, a cirurgia é reversível”.

Após a cirurgia, o paciente segue vida normal e já pode conversar imediatamente. Nos dias e meses seguintes, o Dr. Thiago aconselha apenas que o paciente faça acompanhamento com uma fonoaudióloga especializada, para que a pessoa possa se ajustar a sua nova voz. 

A tão sonhada voz feminina

Aos 32 anos, Verônica Rodrigues é uma mulher transexual que já enfrentou algumas dificuldades na busca de características femininas para sentir-se como sempre quis em um corpo feminino. Fez a cirurgia de mudança de sexo e toma hormônios para acentuar as formas femininas. 

VEJA TAMBÉM:  Ator escocês promete nudes à seguidores que participarem de pesquisa do Governo por direitos trans

Mas, apesar desta aparência de mulher do alto de 1,80 metro, duas características masculinas ainda a incomodavam: a voz e o pomo-de-adão (proeminência laríngea). Verônica superou essa barreira com a cirurgia de tireoplastia do tipo 4, que a deixou com a voz feminina que sempre sonhou e fez a retirada do pomo-de-adão.  

A mudança de voz foi observada ainda na sala de cirurgia, pois estava consciente durante o procedimento e pode até mesmo conferir o tom da voz. Ambos procedimentos foram feitos pelo otorrinolaringologista Thiago Zago. 

Sobre o médico

Com apenas 30 anos de idade, o Dr. Thiago Zago já acumula um vasto currículo. Em 2013 se formou em medicina pela Unicamp e em 2017 terminou sua especialização em otorrinolaringologia e cirurgia de cabeça e pescoço, também pela Universidade Estadual de Campinas. De 2010 a 2012, fez iniciação científica com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, a FAPESP.

VEJA TAMBÉM:  Laverne Cox arrasa ao dar conselho amoroso a fã trans e negra

Esteve em três países para estudar e conhecer novas técnicas em sua área. Durante os anos de 2016 e 2017 estudou em Harvard, nos Estados Unidos, para se especializar em cirurgia endoscópica de ouvido e cirurgia endoscópica de seios da face e tuba auditiva. Na França e na Suíça, estudou sobre microcirurgia de ouvido e Implante coclear e cirurgia endoscópica de ouvido e base de crânio, respectivamente. 

Dr. Thiago tem sua clínica em Mogi Guaçu, mas também atende pelo Hospital São Francisco, localizado na mesma cidade. 

Saiba mais informações em suas redes sociais:

Instagram: https://www.instagram.com/dr_thiago_zago/
Site: https://www.drthiagozago.com/

Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).