A FDA – Food and Drug Administration – dos Estados Unidos aprovou na quinta-feira o Cabenuva, uma combinação de drogas injetáveis ​​administradas uma vez ao mês com cabotegravir e rilpivirina, para o tratamento do HIV em adultos.

“Atualmente, o padrão de atendimento para pacientes com HIV inclui pacientes que tomam pílulas diariamente para controlar adequadamente sua condição. Esta aprovação permitirá a alguns pacientes a opção de receber injeções uma vez por mês em vez de um regime de tratamento oral diário “, disse o Dr. John Farley, diretor do Escritório de Doenças Infecciosas do Centro de Avaliação e Pesquisa de Medicamentos da FDA, em um comunicado.

O Cabenuva, tratamento já aprovado na União Europeia, tem o preço da ViiV Healthcare nos Estados Unidos de $ 5.940 para a dose inicial mais alta e $ 3.960 mensais depois, segundo publicação do Star Observer. O medicamento reduz os dias de dosagem do tratamento de 365 dias para 12 dias por ano.

As PVHIV que desejam mudar para o regime de drogas injetáveis ​​do mês devem primeiro receber Vocabria (cabotegravir em comprimido), que também foi aprovado pelo FDA, e rilpivirina (Edurant) oral, um mês antes de iniciar o tratamento com Cabenuva.
Se os medicamentos forem bem tolerados, então eles podem ser colocados em Cabenuva, que consistiria em duas injeções intramusculares individuais nas nádegas.

Cabenuva já passou por todos os testes

A FDA fez uma revisão rápida e prioritária de Cabenuva e Vocabria. Isso ocorreu depois que a segurança e eficácia do regime de drogas injetáveis ​​foram estabelecidas após dois ensaios clínicos randomizados, abertos e controlados em 1.182 adultos infectados pelo HIV.

Em ambos os ensaios, os pacientes continuaram a apresentar supressão virológica e não houve alteração relevante na linha de base nas contagens de células CD4+. As reações adversas comuns foram reações no local da injeção, febre, fadiga, fadiga, dor de cabeça, dor musculoesquelética, náuseas, distúrbios do sono, tonturas e erupção na pele.

A notícia sobre a aprovação do FDA foi bem recebida em todo o mundo. “Este é um momento decisivo para o tratamento do HIV. Penso nas nossas opções de tratamento nos anos 80 e 90 – alta carga de comprimidos e muitos efeitos colaterais. Percorremos um longo caminho”, postou David Malebranche, médico especialista em HIV, residente em Atlanta, no Twitter.