O presidente Jair Bolsonaro criticou a decisão do Supremo Tribunal Superior de enquadrar a LGBTfobia aos crimes de racismo. Para ele, o STF está legislando a situação.

“O Supremo Tribunal Federal agora está discutindo se homofobia pode ser tipificado como racismo. Desculpe aqui o Supremo Tribunal Federal, que eu respeito e jamais atacaria o outro poder, mas, pelo que me parece, estão legislando […]. O estado é laico, mas eu sou cristão”, disse.

A declaração de Bolsonaro foi ovacionada pelo público durante evento na Assembléia de Deus Ministério Madureira, na última sexta-feira (31), em Goiânia.

O presidente aproveitou a situação para questionar se não estaria na hora de a Corte ter um ministro evangélico.

“Com todo respeito ao Supremo Tribunal Federal, eu pergunto: existe algum, entre os 11 ministros do Supremo, evangélico? Cristão assumido? Não me venha a imprensa dizer que eu quero misturar a Justiça com religião. Todos nós temos uma religião ou não temos. E respeitamos, um tem que respeitar o outro. Será que não está na hora de termos um ministro no Supremo Tribunal Federal evangélico?”, disse.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

No último dia 23, a maioria dos ministros do Supremo votou a favor do enquadramento da LGBTfobia como crime equivalente ao racismo.

As ações analisadas pelo STF pedem a criminalização de todas as formas de ofensas, sejam individuais ou coletivas, homicídios, agressões e discriminações motivadas pela orientação sexual e/ou identidade de gênero, real ou suposta, da vítima.