Nesta quarta-feira (18), Barack Obama publicou um livro sobre suas memórias, onde conta um pouco sobre sua trajetória, infância, adolescência e vida adulta. No livro, Obama fala abertamente sobre visões antigas e preconceituosas que tinha sobre a comunidade LGBTQI+ e admitindo que seu pensamento sobre pessoas LGBTQI+ nem sempre foram bem esclarecidos.

Ex líder Barack Obama
Ex-presidente Barack Obama (Foto: JEWEL SAMAD/Getty)

Barack Obama também revelou que sua tia-avó mantinha uma relação homoafetiva, e que, durante os anos 70, pessoas LGBTQI+ sempre tiveram que viver escondidas e de forma discreta. O ex-presidente também acrescentou, sempre que sua tia-avó visitava a família no Havaí e levava sua companheira, a apresentava como “amiga íntima”.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
Barack Obama em Conferencia
Foto: Reprodução

Segundo o PinkNews, o ex-líder também comentou sobre sua adolescência e admitiu ter usado muitos xingamentos homofóbicos de forma infeliz com seus amigos, porém, ao entrar na faculdade, teve a oportunidade de conhecer melhor pessoas LGBTQI+ e abrir sua mente ao explorar diversas dimensões sociais. “Depois que entrei na faculdade e me tornei amigo de estudantes e professores que eram abertamente gays, percebi a discriminação e ódio explícitos que estavam sujeitos, bem como a solidão e a insegurança que a cultura dominante lhes impunha. Senti vergonha do meu comportamento anterior – e aprendi a fazer melhor. ”

A Casa Branca durante o governo de Barack Obama, após o casamento entre pessoas do mesmo sexo ser legalizado.
A Casa Branca durante o governo de Barack Obama, após o casamento entre pessoas do mesmo sexo ser legalizado. (Foto: GettyImages)