Se tudo correr como planejado, 2023 será um grande ano para a Austrália e para a comunidade mundial de boxe gay quando o primeiro Campeonato Mundial Gay de Boxe começar.

Segundo o site DNA, o evento é ideia de Martin Stark, um boxeador assumidamente gay, que viu uma oportunidade ao saber que o boxe fazia parte dos Gay Games 2018. Stark disse ao DNA que a comunidade mais ampla do boxe acolhe a diversidade, com muitas concorrentes lésbicas e trans também.

Ele disse que desde que teve a ideia que recebeu um enorme apoio. “No ano passado, estive no hospital e comecei a pensar na ideia de realizar um Campeonato Mundial de Boxe Gay, e desde então recebi um enorme apoio.”

“A comunidade de boxe, incluindo o Boxing Australia, deu seu apoio perguntando:‘ O que posso fazer para ajudá-lo?”. Stark disse que também espera fazer crescer o esporte entre a comunidade LGBTIQ da Austrália, já que atualmente não há nenhum clube de boxe gay no país.

Stark recentemente iniciou um pequeno grupo de treinamento com seu treinador. “Existem clubes LGBTIQ no Reino Unido, América, Alemanha e Canadá”, disse Stark, “Um dos primeiros árbitros LGBTQI do campeonato mundial de boxe é um homem gay da Nova Zelândia”.

Ao falar sobre o pequeno grupo de boxe gay de Sydney, Stark disse que o grupo se reúne todos os sábados e dá as boas-vindas a outros que desejam participar. Stark espera que as academias de boxe em breve ofereçam aulas de treinamento para a comunidade LGBTIQ.

Boxe gay na Austrália

O Boxing Australia, que é o órgão máximo do esporte, assumiu uma posição de liderança para ajudar a criar um programa que seja inclusivo e para promovê-lo. Stark também disse que o time gay de rúgbi, Sydney Convicts, também apoiou e ajudou trazendo sua experiência em sediar a Bingham Cup em 2014 e construir um clube.

“Quero que a comunidade de boxe LGBTQI de Sydney crie um clube de boxe de Sydney e que outros iniciem em toda a Austrália, para que em 2023 possamos dar as boas-vindas e abraçar a comunidade internacional de boxe LGBTIQ!” Stark disse.