A Austrália finalmente facilitou suas regras de doação de sangue para homens gays e bissexuais. Em um ato histórico, o serviço vital da Cruz Vermelha do país reduziu o período de espera anterior de 12 meses – que era a política desde 2000 – para três meses de celibato.

Antes disso, os HSH (homens que fazem sexo com homens) eram proibidos de doar para o resto da vida devido ao estigma e ao medo em torno da transmissão do HIV / AIDS: “Após a aprovação de nossos envios pela TGA, segue acordo subsequente por todos os governos australianos e uma atualização dos sistemas Lifeblood, incluindo o formulário de questionário dos doadores,” disse a organização em um comunicado.

“Temos o prazer de informar que essa mudança foi aplicada em 31 de janeiro de 2021 e agora está em vigor para todas as políticas de adiamento de doações de sangue baseadas em atividade sexual”.

“Na Lifeblood, continuamos nosso foco em tornar mais fácil para todos os australianos doar sangue, ao mesmo tempo em que garantimos que o sangue e os produtos sanguíneos da Austrália sejam o mais seguros possível para os receptores de sangue.”

A mudança segue os passos dos Estados Unidos e Canadá, que também relaxaram suas regras de doação de sangue para três meses. Embora tenha sido saudado como um passo na direção certa, os ativistas LGBTQ+ questionaram a necessidade de um período de adiamento.

Rodney Croome, porta-voz da just.equal, disse em um comunicado à imprensa que o governo australiano precisa “adotar uma nova abordagem para a doação de sangue que analise os doadores quanto ao risco sexual individual, em vez do sexo de seu parceiro”.

Ele declarou: “Os atuais governos dos Estados Unidos e do Reino Unido estão empenhados em substituir a proibição de sangue gay por avaliação de risco individual, e é hora de a Austrália fazer o mesmo.

“Pedimos ao Australian Red Cross Lifeblood Service para abandonar uma política de especialistas americanos rotular de ‘ilógica e não comprovada’ e adotar uma política baseada em evidências científicas.”

De acordo com o QNews, as regras atualizadas também se aplicam a pessoas trans que tiveram contato sexual com um homem ou pessoa trans nos últimos três meses, bem como profissionais do sexo. As novas regras entraram em vigor a 31 de janeiro.