Muitos de nós experimentamos alguma forma de bullying na escola, em casa, na rua, vindo de um amigo homofóbico, embora jamais pudéssemos testemunhar o carma desse agressor.

Mas não o que rolou com Jack, um garoto da Nova Zelândia – que se identifica como não binário – que recebeu “o telefonema mais estranho de [sua] vida” quando um amigo homofóbico de sua escola ligou para falar todas as sacanagens que queria fazer com ele.

Em uma conversa bem quente, o valentão diz a Jack que ele quer “gozar na bunda dele”, “sugar a alma dele” e tudo o mais o que vocês imaginam. Ele então reiterou toda a putaria dita pelo colega.

Em conversa com a C&C, Jack conta que, antes do telefonema, o agressor começou a enviar mensagens semelhantes via Snapchat, do nada. Embora Jack admita que não era “o pior” na escola, seu comportamento incluía “jogar a palavra bicha, microagressões e intimidação”.

O garoto gravou a conversa e simplesmente já atingiu mais de 40.000 visualizações. “Eu me sinto mal por dizer isso, mas eu fiquei com ele, porque… deixa pra lá”, acrescentando, “mas nós dois somos ativos, então não fizemos muito”.

Ele revela que não viu mais o amigo homofóbico: “Eu parei de falar com ele depois disso, foi meio estranho”. Até hoje, Jack não acredita que o cara saiba sobre sua exposição no Twitter.