Um grupo de adolescentes bêbados atacam mulher trans durante o fim da semana do Orgulho de Manchester, Reino Unido. Sem desfile por conta da pandemia de COVID-19, o ator Adam Ali saiu com amigos para beber, mas se depararam com a cena gravada pelo seu celular na noite do último dia 28.

Ali disse ao PinkNews que, tendo sido convidado a sair de um bar que estava fechando, eles decidiram continuar suas celebrações do Orgulho em casa, e voltaram pelo centro da cidade de Manchester.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

A menos de um quilômetro de distância da icônica vila gay de Manchester, no entanto, eles foram abordados por um grupo de adolescentes bêbados que disse à amiga de Ali, uma mulher trans que optou por permanecer anônima, que ela era “linda” e pediu a ela um abraço.

Preocupada com o distanciamento social, ela recusou educadamente. De repente, “se viraram para ela e mudaram o discurso”, disse Ali, e começaram a chamá-la de “feia” e “travesti”.

“Nós apenas cuidávamos da nossa vida”, disse ele. “Continuamos andando, mas daquele minuto em diante decidi que tinha que filmar tudo.” Ali continuou: “Um dos adolescentes bêbados se lançou sobre minha amiga, ela estava com uma bebida na mão e eu sabia que ela estava apenas querendo derramar nela”.

Ele “atrapalhou” para proteger a amiga, tendo o copo atirado em seu rosto. Ali pediu à garota que os deixasse em paz, no entanto, ela voltou rapidamente com seus amigos e o grupo começou a atacar os três.

View this post on Instagram

On Friday 28th of August at 23:30pm in Manchester City Centre on Chatham St we were attacked by a gang of four teenagers. This was unprovoked. Myself and two friends were returning home after trying to celebrate pride weekend at Canal St when this gang approached us and began harassing us. One of my friends is trans and she refused to give one of the girls in the gang a hug or take pictures and things escalated. They followed us and Sinead (blonde hair) threw a drink in my face which initiated the physical assault. Following that first attack, the rest of the pack ran at us and began swinging punches and throwing kicks. @itsjackweir saved our lives because he stepped in to defend us. We all tried to protect our trans friend and created a human shield around her. After Jack got involved, the four of them all at once dragged and dropped jack across the floor before kicking him in the head repeatedly. The worst offender was the boy in the gang, his name is Kamran. He was EXTREMELY violent against Jack as you can see in the video. Since this video circulated online, numerous videos of Kamran harassing other victims have since surfaced. I knew we couldn’t fight them alone so i left in a hurry looking for police. Once I returned five minutes later, Jack was now against a wall being assaulted by ALL four at once. It’s a miracle he’s not dead. We now have a crime number and it’s being investigated. I’m expecting to hear from a police officer today. At the crime scene the monsters weren’t arrested just removed from town. We want justice so this doesn’t happen again to someone else. We want reparations and apologies for the trauma and injuries they left us with. Their names are Kamran Saxon, Safia Saxon, Georgia Lleigh and Sinead Thomson. Trans Lives Matter and our queer community needs to protect our Trans people at ALL COSTS. For more updates and details watch my attack highlight. Please share and help us get justice.

A post shared by ADAM ALI (He / Him / Habibi) (@adamsincerely) on

“Fiquei mais preocupado quando ela começou a fazer comentários transfóbicos e a jogar sua bebida em todos. “Ela corre para chamar seus companheiros, eles circulam de volta e a coisa fica séria muito rapidamente. Meu impulso foi apenas ultrapassar e empurrá-los para fora do caminho.”

Ali conta que sua amiga Jack “tem cabelo bem comprido, e eles puxavam o cabelo dela, arrastavam-na pelo chão. Todos eles estavam batendo nela, chutando-o no estômago… chumaços de cabelo estavam saindo de sua cabeça.”

Nesse ponto, Ali decidiu voltar correndo para a vila gay para encontrar um policial. Ele disse: “Demorei uns dois, três minutos para voltar correndo para o Canal Street. Então, eu vejo a polícia e comecei a gritar: ‘Meu amigo foi atacado, rápido, rápido’”.

Ele correu de volta com dois policiais e, tendo ficado fora por cerca de 10 minutos, encontrou Weir ainda apanhando. Os policiais separaram os agressores e os levaram embora. As quatro vítimas contam que a polícia apenas disse que “nós não deveríamos estar na rua no meio da noite”.

A Polícia da Grande Manchester confirmou ao PinkNews que quatro pessoas foram presas sob suspeita de violação da paz, mas não confirmou se eram adolescentes bêbados e que uma investigação estava em andamento. “Tratamos relatos desse tipo com a maior seriedade e não toleramos comportamento de ódio em relação a uma de nossas comunidades”, disse o inspetor Jonathan Shilvock, da cidade de GMP no distrito de Manchester.