Conforme adiantou o jornal O Globo, e consta no próprio programa de governo do candidato do PSL, uma das metas do presidenciável Jair Bolsonaro para a educação no Brasil é o tal do “Ensino a distância” desde a educação infantil.

Isso significa que uma criança poderia aprender em casa caso os pais assim decidissem. Para Bolsonaro, o aluno poderia ir às escolas apenas para fazer provas e aulas práticas, a depender da disciplina.

“Conversei muito sobre ensino a distância. Me disseram (quem?) que ajuda a combater o marxismo. (oi?) Você pode fazer ensino a distância, você ajuda a baratear. E nesse dia talvez seja integral”, disse o presidenciável tentando defender a proposta, que na realidade só serviria mesmo para o governo cortar custos de não ter que manter um aluno na escola.

Confira alguns motivos pelos quais a ideia é catastrófica para a Educação no Brasil, que já sofre tanto e carece de tantas melhorias:

  1. Um dos papéis fundamentais da escola na vida de qualquer pessoa é o de ensinar a socialização, conviver com outras pessoas, o diferente de si. Só neste ponto, a criança já estaria impedida de aprender algo tão fundamental para se viver em sociedade, ficando enfurnada em casa tanto no período de estudar quanto de lazer.
  2. Se a proposta é para crianças a partir de 6 anos como Bolsonaro defende, as mães e/ou pais – ao menos um dos dois – teriam que ficar dentro de casa. Os filhos não tem maturidade pra ficarem sozinhos em casa quando criança. Isso já impediria mães e/ou pais de saírem para trabalhar, e consequentemente isso prejudicaria a economia do país com menos renda e consumo.
  3. A medida geraria desemprego. Não só das mães e/ou pais que teriam que ficar em casa para acompanhar e se responsabilizar por 100% do estudo e educação dos filhos, como desemprego de professores que, com menos alunos nas escolas, seriam menos necessários, e assim, dispensados.
  4. Em um país como o Brasil, onde muitos ainda vivem próximo a linha da miséria, muitas crianças frequentam a escola todos os dias por 2 motivos: o primeiro é que, tendo frequência constante comprovada, os pais podem ter direito ao auxílio do Bolsa Família. Segundo, a alimentação. Muitas crianças não tem o que comer em casa e se alimentam literalmente da merenda escolar, lanche e almoço servidos na escola. Para esta parcela mais pobre da população, a comida serve como incentivo para que a criança vá a escola aprender. Como ficaria essa mesma criança dentro de casa? Esquecida e entregue a desnutrição?

Enfim… Também não surpreende não ter propostas firmes para a educação, um candidato que afirma com todas as letras que “os portugueses nunca pisaram na África“, né?

Falando em proposta desastrosa, veja abaixo o momento em que Bolsonaro tentou defender a proposta em entrevista na GloboNews:

Assista também:

Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 100 milhões de visualizações e 800 mil inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).