Pesquisa da OnBuy descobriu que um em cada cinco homens não muda sua cueca todos os dias – e as mulheres não ficam muito melhores com 18%. A pesquisa, para a qual a empresa entrevistou 2.790 pessoas, descobriu que 1 em cada 20 homens volta a vestir suas roupas íntimas mais de cinco vezes antes de lavá-las.

Além disso, a pesquisa descobriu que a maioria dos usuários habituais tem um método específico para separar as roupas sujas. 25% dos homens e 20% das mulheres decidem voltar a vestir os itens se não estiverem com cheiro de sujeira, e outros 29% dos homens e 30% das mulheres o fazem se não estiverem visivelmente sujos.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Virar sua cueca do avesso provavelmente não causará problemas sérios, mas há um motivo pelo qual as pessoas são aconselhadas a trocar as roupas íntimas especificamente todos os dias. O Dr. Nichola Cosgrove, especialista em cuidados com a pele da Natura Emporium, disse ao Metro.co.uk:

VEJA TAMBÉM:  Charlie Puth posta foto com cueca molhada e bumbum impressiona

“Temos bactérias que ocorrem naturalmente em nossos órgãos genitais que ficarão felizes em seus níveis normais, desde que usemos os produtos de higiene corretos e roupas íntimas, nos lavemos depois uma atividade de sudorese particular etc”.

“Obviamente, as bactérias se transferem ao longo do dia para a nossa roupa íntima, através da sudorese natural e também se você não se limpar correta ou suficientemente depois de ir ao banheiro, secreções corporais normais bem como matéria fecal, pode ser transferida para outras partes do corpo”.

A roupa íntima, de certa forma, atua como uma barreira para proteger nossas roupas, pois é mais fácil lavar nossas roupas íntimas regularmente do que nossas roupas normais. Ao não trocar a cueca todos os dias, você começará a ter um acúmulo de bactérias como Escherichia coli, estafilococos, estreptococos e muitas outras que são perfeitamente normais e úteis quando permanecem nos níveis exigidos.

VEJA TAMBÉM:  Shawn Mendes envia cueca usada de presente pra Matty Healy, do The 1975

No entanto, porque elas crescem em um ambiente quente e úmido, eles vão começar a se multiplicar fora de controle. Os efeitos disso podem ser tão simples como mau cheiro, erupção cutânea, coceira excessiva, até infecções fúngicas, infecções do trato urinário e infecções por estafilococos potencialmente fatais.

O especialista que deu entrevista ao site recomenda passar roupas íntimas se você estiver realmente preocupado com as bactérias. O alto calor do vapor deve matar qualquer coisa perigosa que o ciclo de lavagem não mate.

Cueca usada não é legal

Kal Bulbul, fundador e formulador-chefe do R¹⁰ Labs Skincare, especializado em microbioma da pele, disse ao Metro.co.uk que esses trilhões de bactérias (‘o mais novo órgão que a ciência moderna demonstrou ser essencial para a saúde’) são ótimos em números padrão, mas pode ser perigoso quando atinge níveis elevados.

VEJA TAMBÉM:  Jockstraps: se liga no guia definitivo para arrasar no date

Ele diz: ‘Nosso corpo depende de micróbios benéficos para nos ajudar a manter a saúde também. “Quando as roupas estão em contato próximo com nossa pele, especialmente roupas íntimas, que estão em contato constante e próximo com nossas áreas íntimas, podem acabar abrigando micróbios patogênicos que são prejudiciais à saúde humana.”

Quando lavamos roupas – independentemente do detergente que usamos – ainda há algumas bactérias restantes. Mas Kal continua: “Felizmente, a combinação de nossa pele, sistema imunológico e microbiomas de nossa pele saudável manterá os micróbios patogênicos sob controle”.

“No entanto, como em qualquer sistema, se os micróbios patogênicos estiverem em números suficientemente altos, ou nosso sistema imunológico ou microbioma estiver comprometido, isso pode levar a infecções microbianas e causar várias doenças, como inflamação, abcessos e infecções do trato urinário, para citar alguns”.