O Minhoqueens, um dos favoritos do Carnaval paulistano e o primeiro bloco Dragqueen do país, espera receber na edição deste ano mais de 300 mil foliões no centro de São Paulo, um recorde para o evento. A concentração começa às 14h do dia 22 de fevereiro na Praça da República e o desfile terá início às 15h levando muita alegria, diversidade e música com shows das cantoras drags Lia Clark e Kika Boom. O trajeto termina no Teatro Municipal.

Em 2016, quanto estreou nas ruas de São Paulo, o bloco contou com 25 mil pessoas acompanhando o trio. No ano passado, mais de 200 mil foliões passaram pelo Minhoqueens. Neste ano, o segundo esquenta para o carnaval organizado pelo bloco no último dia 19/1 recebeu mais de 1.600 pessoas no Hotel Cambridge. A festa continua em fevereiro no Esquenta do Bloco Minhoqueens + Bloco da Mama que acontece no dia 1/2 no Centro Cultural da Diversidade, no Itaim Bibi. Na semana seguinte, 8/2, acontece o Pré-Carnaval com público estimado de 1.500 pessoas.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:
VEJA TAMBÉM:  Marielle Franco será homenageada por Mangueira no Carnaval 2019

A ideia do bloco surgiu anos atrás por meio de pequenas festas realizadas na casa de seus idealizadores, Fernando Magrin e Willians Medeiros, onde amigos vestiam-se como dragqueens por diversão. Desta forma, o objetivo inicial era estender a proposta para que todos pudessem ser uma Dragqueen por um dia durante o carnaval. O nome derivou-se deste termo -Dragqueen- em conjunto com o nome do elevado Presidente João Goulart, popularmente conhecido como Minhocão, por onde o bloco passaria, formando, então, o Minho+Queens.

O Minhoqueens foi o primeiro bloco Dragqueen do país, contudo, não atrai apenas foliões LGBTQ+, mas abraça toda a diversidade, reunindo foliões de todas as tribos com eventos que incluem diversão e respeito ao som de POP nacional e internacional, brasilidades, funk carioca, entre outros estilos musicais.

Durante os anos diversos artistas passaram pelo trio do Minhoqueens: MC Xuxu, a cantora e dragqueen Lia Clark, que trouxe para o evento o Baile de Boneca, uma idealização da própria artista, MC Loma, as Gêmeas Lacração, Mulher Pepita, Tainá Costa, Matheus Carrilho e os DJs Residentes Will Medeiros e Luís Giusti, também produtores do bloco. A festa é sempre comandada pela Drag Mama Darling. Em 2019, contou com a participação da Drag Paola Cadilac.

VEJA TAMBÉM:  “Bandeirão” LGBTI+ de 30 metros é estendido em praça do Rio de Janeiro

Outra novidade do último ano foi a retomada das festas mensais que acontecem em locais públicos e em ambientes fechados, como o Club Hotel Cambridge, Espaço 14 Bis, Quenga Paulista Bar, L’amour Night Club e Zig Club.

Em 2016, nasceu uma parceria com o Centro de Acolhida Especial Casa Florescer, uma organização não governamental que acolhe travestis e mulheres transexuais. O bloco foi convidado a participar dos desfiles da Parada do Orgulho LGBTQ+ de São Paulo, em parceria com a CAE Casa Florescer, ficando responsável por toda a produção do trio elétrico. Essa parceria se mantém até hoje trazendo todos os anos muita música, diversidade e resistência para as ruas de São Paulo, além da participação ativa do coletivo em eventos beneficentes.

O Minhoqueens teve o apoio da AMBEV, por meio da marca Skol e a AVON, por meio da linha de maquiagens Mark, Canal E! e KY.

VEJA TAMBÉM:  Cibelly, trans espancada no Carnaval de BH, finalmente dá primeiros passos meses após o crime
Avatar
Criador Põe na Roda, canal do youtube de humor e informação LGBT desde 2014, com mais de 150 milhões de visualizações e 1 milhão de inscritos. Autor do livro "Um Livro Pra Ser Entendido", que desmistifica questões do mundo gay e sobre ser LGBT para todos os públicos. Também foi roteirista de TV (Amor & Sexo, Adnight, CQC, Furo MTV) e colunista (Folha de S. Paulo).