Arte, política, saúde e HIV/AIDS são alguns dos temas que integram a programação cultural “Ciclo de Contágio”, evento com atividades gratuitas e acontecerão nos meses de outubro, novembro e dezembro em São Paulo

Serão realizados ciclos de debate, oficinas e apresentação de experimentos cênicos em diversos pontos da cidade de São Paulo. O projeto é uma iniciativa do Coletivo Contágio formado pelo jornalista Andreará S, pelo escritor Leandro Noronha e pelo bailarino e ator Rodrigo Silbat . O projeto tem o apoio do Programa de Valorização a Iniciativas Culturais (VAI 1 2019), da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo.

(Com)Verso Positivo (Ciclo de Debates) – A programação terá início com o (Com)Verso Positivo, um ciclo de debate que propõe ser um espaço de diálogo sobre questões do hiv/aids, lutas pelos Direitos Humanos e causas LGBTI+. Todas as atividades acontecerão das 18h às 21h, no espaço Vitrine da Dança da Galeria Olido, Centro.

No dia 01 de outubro (terça-feira), o tema será “Nas tramas da luta: Ativismo político e HIV/AIDS”, e contará com a presença de Paulo Giacomini (Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV/AIDS) e Pisci Bruja (Coletivo Loka de Efavirenz), com mediação de Leandro Noronha. Na quarta-feira, dia 02 de outubro, o advogado e ativista Filipe Pombo, Adriano Queiroz (Programa Municipal de DST/Aids de São Paulo) e a agente de prevenção Thiphany Raphaela Lopes participarão da mesa “Das subjetividades à adesão: Saúde e HIV/AIDS”, com mediação de Andreará S.

O ciclo de debates se encerra no dia 03 de outubro (quinta-feira) com a mesa “Tratados para uma Arte e HIV/AIDS ”. Rodrigo Silbat fará a mediação entre os convidados Flip Couto (Coletivo Amem), Ronaldo Serruya (Grupo XIX e Teatro Kunyn) e o performer Vinícius Couto.

VÍDEO NOVO DO PÕE NA RODA:

Literatura e HIV/AIDS – Como a literatura aborda hoje o hiv/aids em relação às décadas de 1980 e 1990? Qual a importância da escrita literária para a discussão desta temática e para a relação entre o escritor e o vírus? Para refletir sobre tais questões, será promovido no dia 13 de outubro (domingo), das 18h às 21h, o seminário Escritas de Si(da). A atividade será
realizada no Galpão da Casa 1, na Bela Vista.

O encontro contará com a participação de Amara Moira, doutora em crítica literária pela Unicamp e autora do livro autobiográfico “E se eu fosse puta” (hoo editora, 2016), e de Ramon Nunes Mello, poeta, escritor, jornalista e organizador de “Tente entender o que tento dizer: poesia + hiv/aids” (Bazar do Tempo, 2018), primeira antologia poética publicada no Brasil com este enfoque temático.

Oficinas artísticas – Oficinas para construção de experimentos artísticos serão realizadas em outubro e novembro no Centro Cultural da Juventude – CCJ, na Vila Nova Cachoeirinha. Nos dias 18, 19 e 20 de outubro (sexta, sábado e domingo), a oficina (Anti)Corpo Vibrátil se propõe, a partir da experiência dos participantes, pensar as relações entre cidade, afetividade e
memória, sempre em diálogo com questões sobre sexualidade.

Já a oficina Corpa Lavra Memórias Positivas é voltada para artistas que pesquisam hiv/aids e temas correlacionados. Será um espaço de partilha criativa e de exercícios de criação textual, de teatro e de dança propostos pelo Coletivo Contágio. A atividade ocorre nos dias 22, 23 e 24 de novembro (sexta, sábado e domingo).

Para participar das oficinas não é necessário fazer inscrição prévia.

Apresentação teatral – No dia 1º de dezembro (domingo), Dia Mundial de Luta contra a AIDS, o Coletivo Contágio apresenta um experimento cênico com o tema HIV/AIDS. A obra será resultado da pesquisa e reflexão proporcionadas por todas as atividades da programação. A apresentação será das 19h às 20h, na Sala Paissandu da Galeria Olido.

Informações pelo email: [email protected]